domingo, 26 de agosto de 2012

Regras de Saúde




1 - Guarde o coração em paz, á frente de todas as coisas. Todos os patrimônios da vida pertencem a Deus.

2 - Apoie-se no dever rigorosamente cumprido. Não há equilibrio físico sem harmonia espiritual.

3 - Cultive o hábito da oração. A prece é luz na defesa do corpo e da alma.

4 - Ocupe o seu tempo disponível com o trabalho proveitoso, sem esquecer o descanso imprescindível ao justo refazimento. A sugestão das trevas chega até nós pela hora vazia.

5 - Estude sempre. A renovação das idéias favorece a sábia renovação das células orgânicas.

6 - Evite a cólera. Enraivar-se é animalizar-se, caindo nas sombras de baixo nível.

7 - Fuja à maledicência. O lodoagitado atinge a quem o revolve.

8 - Sempre que possível, respire a longos haustos e não olvide o banho diário, ainda que ligeiro. O ar puro é precioso alimento e a limpeza é simples obrigação.

9 - Coma pouco. A criatura sensata come para viver, enquanto a criatura imprudente vive para comer.

10 - Use a paciência e o perdão infatigavelmente. Todos nós temos sido carinhosamente tolerados pela Bondade Divina milhões de vezes e conservar o coração no vinagre da intolerância é provocar a própria queda na morte inútil.

André Luiz (Psicografada por Chico Xavier)

sábado, 18 de agosto de 2012

NINHO DE ÁGUIA PARA NOSSOS FILHOS...


 


Muitos dizem que não há manual de instruções para educação de crianças, mas há sim, diretrizes que nos capacitam como pais para lidar com o dia a dia de nossos filhos. Certa vez quando estive em um Museu de História Natural, me atentei a perceber como é que a águia faz o ninho para seus filhos. Já estudo sobre a águia há anos, porque admiro suas atitudes e singularidade. Não é a toa que a águia está nos emblemas dos EUA como símbolo de força, coragem e poder e se você ler a bíblia, perceberá que em vários momentos é citado que quando esperamos em Deus,  Ele renovará nossas forças e nos dará "olhos e asas de águia". É importante este comentário porque águias sempre enxergam além, sempre voam mais alto e mais longe, pois não se contentam em enxergar a vida em um ângulo raso. Á águia tem muito a nos ensinar e só de perceber como elas lidam com a tempestade, já nos serve de grande lição nas condutas da vida. Observe primeiramente, a forma que constroem seus ninhos e que tem haver com a educação de filhos: Elas o fazem no mais alto dos penhascos e a sua estrutura em três camadas: A primeira delas é de penas, onde extrai partes de seu próprio corpo para dar aconchego e proteção aos seus filhotes. Conforme eles vão crescendo, a águia vai tirando pena a pena, uma a uma, até eles chegarem na segunda camada: os gravetos. Perceba que neste momento, a bundinha dos filhotes não está mais sobre as penas gostosas e macias, mas passam a ter que lidar com a secura dos galhos onde os filhotes são submetidos. Passado um tempo, a águia vai tirando um a um dos gravetos, até que os fazem entrar em contato com a terceira camada do ninho que são os espinhos. Neste momento, os espinhos vão espetando e incomodando tanto, que os tiram da zona de conforto e isso os obriga a voar para descobrirem o mundo e explorar suas forças. Que grande manual temos em nossas mãos ao entendermos que ajudamos nossos filhos a crescerem quando "construímos ninhos de águia" para eles. Pais que deixam seus filhos sempre na primeira camada, ou seja, nas penas, não contribuem com o seu rescimento, pois os filhos nunca vão se despertar para descobrir suas próprias habilidades porque não vão querer deixar o conforto e a proteção que as penas trazem. Quando os estimulamos contribuimos para enxergarem a vida com "olhos de águia" olhando sempre à frente e acima de toda e qualquer circunstância. Fazendo isso, os ajudamos a lidar com os momentos críticos da vida pois, se você observar, na hora de uma tempestade, todas as aves do céu se recolhem para procurar abrigo seguro, mas a águia vai além das nuvens onde a tempestade se forma e fica assistindo as rajadas de trovão e ventos contrários de forma que aquilo não lhe atinge. Nós, muitas vezes, nos primeiros sinais de perigo já estamos com medo, mas quem tem "olhos de águia"vai olhar sempre além. O ar de tranquilidade da águia diante do perigo parece zombar da tempestade, ao desafiar suas forças na emoção de atravessar as turbulentas correntes de ar, navegando por cima delas com graça e controle. Com os filhos e durante nossa vida, certamente passamos por tempestades que nos assustam mas tal como escrito a anos, se confiarmos em Deus, nós voaremos como águias e enxergaremos como elas, porque veremos além das circunstâncias e nunca nos esqueceremos que por trás de grandes nuvens, lá está o sol, pronto para brilhar e mostrar a leveza e a delícia de um dia ensolarado e quente.http://www.facebook.com/pages/Aprendendo-a-Viver-O-Recomeco


sexta-feira, 10 de agosto de 2012

Vítimas das ilusões

Você se considera uma pessoa livre das armadilhas da ilusão?

Se a sua resposta foi sim, considere o seguinte:

Quando alguém julga infalível a sua razão, está bem perto do erro, pois geralmente nosso juízo é apressado, parcial e muito limitado.

Quando observamos a situação atual da nossa sociedade, podemos perceber que a grande maioria das pessoas está sob a influência de algum tipo de ilusão.

A ilusão da eterna beleza física, por exemplo, é quase generalizada.

Que digam os fabricantes de produtos criados com essa finalidade e os profissionais da área...

Chegou a tal ponto a preocupação com a beleza física, que jovens de 20 e poucos anos estão desesperados por causa das rugas que poderão aparecer no futuro...

A busca por produtos que evitem que as marcas de expressão se transformem em vincos na face, é assustadora.

Mas o tempo se encarregará pelo desgaste natural que surge com o passar dos anos, triunfando sobre a ilusão da eterna juventude do corpo.

Sem dúvida, é louvável a possibilidade que os avanços científicos propiciam para que as pessoas se sintam bem.

A medicina estética surge justamente para trazer bem-estar e aumentar a auto-estima, corrigindo este ou aquele problema físico.

Todavia, acreditar que os recursos da tecnologia vão nos tornar jovens no corpo físico para sempre, é triste ilusão.

Outra maneira de nos iludir é imaginar que um governo possa resolver todos os problemas de uma sociedade, de forma milagrosa, acreditando num discurso vazio e sem fundamentos lógicos e coerentes com a realidade.

O sabor da desilusão, nesses casos, pode ser amargo e trazer conseqüências desastrosas, gerando desânimo ou revolta no meio dos que se iludiram.

Aproveitando essa fragilidade dos indivíduos, de cair nas malhas da ilusão, o comércio tem sido lucrativo, vendendo disfarces no atacado e no varejo.

São cintos para disfarçar as gorduras, comprimindo-as para que a silhueta pareça mais delineada...

Sutiãs que simulam seios maiores, mais torneados...

Calças e meias com bumbuns postiços, e muito mais...

São iludidos... São ilusões...

Existem também pessoas que se iludem sobre seu próprio caráter. De tanto mentir acabam por acreditar nas mentiras que inventaram.

E, pior ainda, acreditam que os outros são tolos a ponto de não perceberem que mentem, e continuam jurando, até diante das câmeras, que dizem a verdade.

Existem pessoas visivelmente convencidas de que são donas da vontade alheia, tornando-se déspotas no lar ou no trabalho, iludidas de que terão para sempre seus reféns.

Há indivíduos que desejam ser eternamente dependentes de outros indivíduos, na tentativa de burlar as leis do progresso e permanecer infantis para sempre.

Meras ilusões...

Poderíamos trazer inúmeros outros exemplos, mas não é essa a intenção.

Desejamos tão-somente trazer à baila a questão das ilusões que cada vez mais estão presentes em nossas vidas.

No entanto, essa é uma questão que só será solucionada quando cada um quiser, pois é de foro íntimo e exige reflexão séria e isenta de prevenção.

E a prevenção, juntamente com a pretensão, é forte indício de ilusão, pois quem julga infalível a sua razão, está bem perto do erro.

É graças ao poder de iludir que têm certos indivíduos, e à propensão para se deixar iludir de outros tantos, que a vida toma rumos perigosos e conduz a destinos incertos.

Vale a pena pensar um pouco mais sobre essa questão.

Buscar refletir sobre os caminhos que escolhemos e observar a direção que tomamos.

Retirar do olhar o véu das ilusões e seguir a passos firmes na direção da felicidade sem disfarces e sem fantasias.

Na direção da felicidade efetiva, que só a realidade pode nos oferecer.

Pensemos nisso!

TC 24/12/2006
 
 

Texto da Equipe de Redação do Momento Espírita.

domingo, 5 de agosto de 2012




Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes
Os Sete Hábitos das Pessoas Altamente Eficazes é um livro administrativo (alguns consideramos como sendo de auto-ajuda) do consultor Stephen R. Covey. O livro é resultado de pesquisa feita em duzentos anos de públicações sobre sucesso que vão desde biografias a simples manuais e livros de auto-ajuda.
Foram vendidas mais de 15 milhões de cópias (ISBN 0-671-70863-5) em trinta e oito idiomas desde a sua primeira publicação em 1989 e foi eleito pelos leitores da revista Chief Executive como o livro mais influenciador do século vinte. Devido a sua grande popularidade, Stephen conquistou grande destaque na sua carreira como escritor, conferencista e consultor, sendo convidado para muitos eventos e workshops.
O livro lista sete princípios que, se estabelecidos como hábitos, devem ajudar a pessoa a atrair a verdadeira interdependência efetiva. Stephen argumenta que ela é atingida por meio do alinhamento a princípios da "Ética do Cárater", que ele acredita serem universais e atemporais, ao contrário da "Ética da Personalidade", algo que ele vê como prevalecentes em muitos livros modernos de auto-ajuda.

Os Sete Hábitos são:
  • Hábito 1: Ser Proativo;
  • Hábito 2: Começar com o Objetivo em Mente;
  • Hábito 3: Primeiro o Mais Importante;
  • Hábito 4: Mentalidade Ganha-Ganha;
  • Hábito 5: Procure Primeiro Compreender, Depois ser Compreendido;
  • Hábito 6: Criar Sinergia;
  • Hábito 7: Afinar o Instrumento.

Stephen Covey também escreveu diversos outros livros tendo este como base, como: "Os sete hábitos das famílias altamente eficazes" e "Vivendo os Sete Hábitos: Histórias de Coragem e Inspiração".


quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Bons tempos


Receita passa a oferecer inscrição gratuita de CPF pela internet



Cadastro online foi disponibilizado pelo órgão nesta quinta-feira (2).

Antes, contribuinte tinha de ir a bancos ou Correios e pagar R$ 5,70. 

Alexandro MartelloDo G1, em Brasília
A Secretaria da Receita Federal passsou a oferecer nesta quinta-feira (2), por meio de sua página na internet, a inscrição dos contribuintes no Cadastro de Pessoas Físicas (CPF) pela internet e de forma gratuita. 
O documento é necessário para fazer as declarações anuais do Imposto de Renda (IR), para abrir crediários, renovar passaporte, pedir empréstimos ou efetuar qualquer tipo de contrato bancário, além de participar de concurso público ou retirar prêmios de loterias.
Pelo sistema anterior, o processo de obtenção do número do CPF era feito em bancos públicos, como o Banco do Brasil e a Caixa Econômica Federal, ou nas agências de Correios, ao custo R$ 5,70.
Para concluir a obtenção do CPF pela internet, o Fisco pede alguns dados dos contribuintes, como data de nascimento, número do título de eleitor, sexo, naturalidade, nome da mãe, endereço e telefones para contato.
Inscrição do CPF
Segundo o Fisco, qualquer pessoa pode solicitar a inscrição no CPF. Não há idade mínima para a inscrição (recém-nascidos, por exemplo, podem ser inscritos); é permitida a inscrição de brasileiros ou estrangeiros, residentes no Brasil ou no exterior; cada pessoa pode se inscrever apenas uma vez.
A Receita Federal lembra que o número do CPF é único e definitivo. "Se o número for esquecido, tente localizar o número em algum outro documento, cheque, contrato", acrescentou o órgão.
Alguns contribuintes, porém, são obrigados a ter número de CPF. Veja alguns casos: pessoas que têm de apresentar a declaração do IR; inventariantes, cônjuges ou conviventes, profissionais liberais; locadores de bens imóveis; titulares de contas bancárias, de contas de poupança ou de aplicações financeiras; pessoas que que operam em bolsas de valores, de mercadorias, de futuros e assemelhadas; contribuintes com mais de 18 (dezoito) anos que constarem como dependentes na declaração do IR de outras pessoas; além de residentes no exterior que possuam no Brasil bens e direitos sujeitos a registro público.