quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Banda larga e mente estreita


Toda banda larga é inútil, se a mente for estreita.
Eis a idéia veiculada numa determinada campanha publicitária nacional, que toca numa temática bastante interessante.  
Nos tempos de desenvolvimento tecnológico incessante e revolucionário; nos tempos da velocidade da informação, e da conectividade em tempo real com o mundo todo, é necessário pensar.
Pensar se tudo isso, realmente, está sendo utilizado em favor do desenvolvimento humano, ou é apenas mais uma distração criada pela alma imatura do homem terreno.  
Sim, pois, se pouco ou nada nos acrescenta como Espíritos, no que diz respeito ao nosso progresso moral, ao nosso melhor comportamento, de que nos adianta?
 De que nos adianta ter a facilidade no acesso à informação, se não sabemos o que fazer com ela?  
De que adianta ficar sabendo de tantas e tantas coisas, se não sabemos selecionar o que eu quero e o que eu não quero para mim?  
Toda banda larga é inútil, se a mente for estreita.  
A mente estreita é esta que se perde em meio a tantas possibilidades, sem saber para onde ir.  
Naufragam ao invés de navegarem na Web.  
Gastam seu tempo querendo saber da vida dos outros, do que aconteceu aqui ou ali, inaugurando apenas uma nova forma de voyeurismo e fofoca - apenas isso.  
A mente estreita lê, mas não pensa sobre o que leu, não emite opinião, apenas aceita...  
A mente estreita prefere o contato virtual, dos perfis raramente sinceros, do que a conversa olho no olho, sem barreiras, sem máscaras.
 A tecnologia está à nossa disposição para nos ajudar. É o conhecimento intelectual engendrando o progresso moral, propiciando o adiantamento do ser humano, e não sua destruição.
A chamada informação nunca foi tão fácil e farta, é certo, mas será ela, por si só, suficiente?  
O que mudou em nós, seres humanos, as agilidades tecnológicas da nova era? Tornamo-nos melhores? Mais caridosos? Mais dispostos a nos vermos todos na Terra como irmãos?  
Talvez para alguns sim, os de mente larga e coração amplo.  
Tantas comunidades do bem na rede, tantas propostas nobres ligando pessoas em todo o mundo!  
Inúmeras mensagens de consolo, de esclarecimento, diariamente cruzam os ares virtuais da internet, e levam carinho e alegria a muitos lares infelizes.  
São muitos os exemplos de como os avanços intelectuais podem ser bem utilizados em favor do desenvolvimento humano.  
Sejamos nós estes de mente larga, que querem e trabalham pelo bem comum, das mais diferentes formas possíveis, e que se utilizam de mais este instrumento, para viver o amor.  
* * *  
O Universo é a condensação do amor de Deus, e somente através do amor poderá ser sentido, enquanto pela inteligência será compreendido.  
Conhecimento e sentimento unindo-se, harmonizam-se na sabedoria que é a conquista superior que o ser humano deverá alcançar.  
Busquemos a plenitude intelecto-moral, conforme tão bem acentua o nobre Codificador do Espiritismo, Allan Kardec.

       Fonte: www.reflexão.com.br

segunda-feira, 26 de setembro de 2011

GANÂNCIA ... AVAREZA

Um provérbio flamengo diz: "O mundo é um monte de feno - reúne todos quantos ele pode."Ganância é um sentimento humano negativo que se caracteriza pela vontade de possuir somente para si próprio tudo o que existe. É um egoísmo excessivo direcionada principalmente à riqueza material, nos dias de hoje pelo dinheiro. Contudo é associada também a outras formas de poder, tal qual influencia às pessoas de tal maneira que seus praticantes chegam ao cúmulo de corromper terceiros e se deixar corromper, manipular e enganar chegando ao extremo de tirar a vida de seus desafetos.
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.


No cristianismo, é o pecado capital a AVAREZA
É o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando-os e deixando Deus em segundo plano. É considerado o pecado mais tolo por se firmar em possibilidades.
Na concepção cristã, a avareza é considerada um dos sete pecados capitais, pois o avarento prefere os bens materiais ao convívio com Deus. Neste sentido, o pecado da avareza conduz à idolatria, que significa tratar algo, que não é Deus, como se fosse deus.
Avareza, no cristianismo, é sinônimo de ganância, ou seja, é a vontade exagerada de possuir qualquer coisa. Mais caracteristicamente é um desejo descontrolado, uma cobiça de bens materiais e dinheiro, ganância. Mas existe também avareza por informação ou por indíviduos, por exemplo.
Para o avaro, os bens materiais deixam de ser um meio para aquisição de bens e serviços e para a satisfação das necessidades, mas um fim em si.
A avareza opõe-se à virtude da generosidade.
Ainda de acordo com a definição usual, valores imateriais como a inteligência, cultura, arte, beleza e amor não existem para o avarento, pois tais elementos são abstratos e não podem ser convertidos em dinheiro.
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre.

*****************
Pois é, essas são as definições que encontrei para as palavrinhas GANÂNCIA  e AVAREZA.
Palavrinhas... muito pequeninas...mas de uma maldade sem tamanho e explicação.
Infelizmente hoje tive a tristeza de presenciar (ouvir via telefone, no viva voz né!) uma conversinha entre meu esposo e um certo cidadão da elite Santiaguense, desses grandão, poderosos...
Mas grandão de ganância, avarento, sovina, poderoso materialmente falando, porque de coração e de mente é menor que uma cabeça de alfinete.
Um sujeito arrogante, sem a mínima educação para abordar um assunto de trabalho, isso só porque ELE não havia gostado de um trabalho que meu esposo fez a um cidadão de Santiago.
O cidadão que solicitou o trabalho aprovou, levou e já está fazendo uso, MAS... o PODEROSO NÃO ACHOU QUE FICOU LEGAL, e com sua influência interviu para que o trabalho fosse desfeito.
Meu esposo serve para pai dele e no trabalho do qual estou falando, quando esse GRANDÃO começou a trabalhar, o Luiz Carlos já era conhecedor há muito tempo.
Que isso???? Só porque tem dinheiro não aceita concorrentes em seu trabalho??????
Será que o mundo é só seu??? Na sua cabecinha sim, mas na realidade as coisas são bem diferentes.
O sol nasceu para todos, mas o ganacioso que quer ficar com ele somente para si, um dia acaba queimado pelo calor excessivo!!!

sexta-feira, 23 de setembro de 2011

Júlio Ruivo, quando o Prefeito dá o exemplo e bate o ponto


Ontem, eu presenciei uma cena e fiquei impressionado. Eu sempre soube que o Prefeito Júlio é sempre o primeiro a chegar, pela manhã, não brinca com horário, e sempre é o último a sair.
Agora, não sabia, juro que não sabia, que o Prefeito Júlio Ruivo batia ponto. Aí fui atrás de maiores informações e soube que ele bate ponto religiosamente, todos os santos dias.
Ele é o primeiro a dar o exemplo. Aliás, um exemplo para todos nós santiaguensese gaúchos. Numa sociedade em que os prefeito se acham, esse exemplo louvável precisa ser elogiado e tornado público

  em http://julioprates.blogspot.com//




quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Piquete de Laçadores Estância dos Coqueiros

Patronagem do Piquete de Laçadores Estância dos Coqueiros- Nova Esperança do Sul/RS



Invernada do Piquete de Laçadores Estância dos Coqueiros- Nova Esperança do Sul/RS

Invernada Dente de Leite da Escola Municipal Maria M. Frizzo


Ontem acabou a Semana Farroupilha, data máxima para nós Gaúchos!
Sei que somos o Estado onde o povo mais cultua suas tradições, isso é louvável.
Pena que essa cultura fique evidente mesmo, apenas durante uma semana no ano. Penso que deveríamos cultuar essa linda tradição no dia a dia, mas... não sou eu quem vai mudar!
Participei 2 dias das festividades. Uma em Nova Esperança do Sul e outra em Santiago.
Em Nova Esperança do Sul, participei do almoço no dia 20, junto ao Piquete de Laçadores Estância dos Coqueiros.Tudo impecável!
Mas o que quero falar aqui não é sobre Tradição, Semana Farroupilha,etc. Apenas aproveito o gancho do almoço de ontem para tecer alguns comentários sobre ATENDIMENTO AO PÚBLICO.
Sim, mas o que isso tem a vêr? Tudo! Explico: No almoço estavam presentes em torno de 300 pessoas (280 pagantes, mais alguns convidados).
Imaginem vocês como atender bem a todo esse público, 300 pessoas ao mesmo tempo.
Pois a Patronagem e o Prendado do Piquete de Laçadores Estância dos Coqueiros, tiraram isso de letra.
O almoço foi servido nas mesas (não precisávamos enfrentar filas para nos servir), e a equipe de trabalho fez isso com todo carinho e dedicação (sem ganhar nada em R$), servindo a todos os presentes de modo inigualável e não visto nem em restaurantes com 10, 15 pessoas para almoçar.
Sim, estou acostumada ( sei que não sou só eu), a ser mal atendida em várias lojas, restaurantes, bares,etc, em toda a região.
Isso que no comércio o lucro é do PROPRIETÁRIO  e o colaborador é PAGO para bem atender, mas não o fazem.
Por fim, quero parabenizar ao Patrão do referido Piquete e a toda sua equipe, que com muita humildade e carisma colocaram debaixo do braço muitos DIPLOMADOS em Atendimento ao Público.
E ao Comércio em geral, de toda a região, que procurem ter algumas aulas com esse  pessoal . Aposto que os lucros serão bem melhores.
P.S. Parabéns ao Márcio castro e à Márcia Dalenogare, instrutores da invernada do Piquete e também da invernada Dente de Leite da Escola Municipal.
As lágrimas de felicidade de vocês ontem, faz jus. Pois, muito melhor instrutores e pais chorarem e babarem por verem seus alunos e filhos participando de atividades educativas, do que chorarem sobre caixões de filhos mortos por enveredarem para o crime!

segunda-feira, 19 de setembro de 2011

Onde estás Deus, que não respondes?

Assim, o poeta Castro Alves inicia seu poema Vozes da África. É o lamento do Continente Africano, vendo seus filhos serem levados como animais ao mercado de escravos.


Deus! Ó Deus! Onde estás que não respondes!
Em que mundo, em qu´estrela tu t´escondes
Embuçado nos céus?
Há dois mil anos Te mandei meu grito,
Que embalde, desde então, corre o infinito...
Onde estás, senhor Deus?

À semelhança dos versos do poeta, muitas vozes se ergueram quando aconteceu o 11 de setembro de 2001, para indagar onde estava Deus naquele momento.
Por que permitiu que mais de duas mil vidas fossem destroçadas naquela manhã?
Por quê?
Poder-se-ia perguntar ainda onde estava Deus quando fomentamos a Primeira e a Segunda Guerra Mundial.
Quando eliminamos seis milhões de judeus, em nome de uma inexistente superioridade ariana.
E quando empreendemos as cruzadas, levando a morte àqueles que qualificávamos como infiéis.
E durante a Inquisição de tanta barbárie.
E todos os dias, onde está Deus?
Onde está Deus quando enganamos nosso irmão? Quando mentimos para conseguir favores que desejamos?
Quando desonramos o lar, com o adultério? Quando eliminamos a vida no ventre materno, porque não desejamos o ser em gestação?
Onde está Deus quando deixamos nossos filhos à matroca, sem orientação, porque preferimos a acomodação?
Onde está Deus quando, utilizando o poder que o mundo nos confere, ferimos pessoas, destruímos a honra de outras vidas?
Onde está Deus quando levantamos as bandeiras da pena de morte ao nosso irmão? Ou da eutanásia?

Para todas as perguntas, a resposta é a mesma: Deus está dentro de nós, dentro de cada criatura.
Soberanamente sábio, criou-nos a todos iguais, partindo de um mesmo ponto de simplicidade e ignorância.
Criou os mundos para que neles trabalhássemos, utilizássemos nossas forças e crescêssemos em intelecto e moral.
A ninguém concedeu privilégios. A todos concedeu o livre-arbítrio, com a consequente Lei de Causa e Efeito.
Estabeleceu que a cada um será dado conforme as suas obras e que todos deverão chegar ao mesmo destino, não importa quanto demore: a perfeição.
Ele nos permite a livre semeadura, mas estabelece que a colheita seja obrigatória.
Por isso, uns semeiam ventos e colhem tempestades. Outros lançam ao solo as sementes da bondade, do bem e alcançam felicidade.
Uns estão semeando hoje. Outros tantos estão realizando a colheita das bênçãos ou das desgraças que se permitiram semear.
Conhecedor das fragilidades de Seus filhos, aguarda que cada um desperte, a seu tempo, cansado das dores que para si mesmo conseguiu.
Portanto, não indague onde está Deus, quando você contemple a injustiça. Trabalhe pela justiça.
Não pergunte onde está Deus, quando observe a violência. Semeie a paz.
Não questione onde está Deus quando a miséria campeia. Utilize seus recursos para semear riquezas.
Enfim, onde quer que você esteja, lembre que Deus está em você e com você. E espera que você seja o Seu mensageiro de bênçãos, onde se encontre.

Pense nisso. Pense agora e comece a demonstrar ao mundo o Deus que existe em sua intimidade.

Fonte: http://www.reflexao.com.br/
###############
Para começarmos a semana, uma boa reflexão, afinal, vivemos fazendo a pergunta: Porque Deus?
será que em algum momento de deslize não cometemos algum erro, ou quem sabe nossa vida esteja sendo conduzida de forma errada e não nos damos conta . E, assim preferimos continuar a perguntar: Porque Deus? Porque me abandonou?
É um excelente texto para todos nós, mas ESPECIAL para aquelas pessoas que vivem se fazendo os questionamentos acima citados.
Uma ótima SEMANA a todos nós.
Paz e Luz!

domingo, 18 de setembro de 2011

AMOR

O amor, que sentimento é este?
Ele é inspiração de muitos poetas, rende lindos contos e faz muitos repensarem suas atitudes.
No fundo todos o procuram desatinadamente e a maioria pensa que não o encontra.Porque?
O amor é o sentimento mais nobre e limpo de qualquer ser humano, capaz de purificar a alma mais enlameada que for.
Mas porque o procuramos tanto?
Porque pensamos que ele não existe mais, que ninguém mais o usa?
Por um lado estão certos os que pensam que as pessoas não o usam mais e estão certos aqueles que também pensam que ele ainda existe.
O amor habita nosso ser por natureza, está entranhado em nossa alma.
O problema é que as pessoas não conseguem entender o seu real significado e ficam procurand-o nos lugares mais obscuros, nos grandes feitos, nas grandes obras.
O amor é límpido, transparente, se prestarmos atenção podemos encontrá-lo em todas as partes. Na flor, no orvalho, nas estrelas, nos animais, no vento, no ar, no sol, no simples pensar.
E, talvez por ele ser tão simples e tão constante em nossas vidas é que muitos o procuram e não o encontram.
Basta apenas penetrar a alma de um ser e fazermos uma revisão muito íntima de nossos sentimentos e emoções.
Ele vai ser encontrado rapidinho...
Vamos viver o amor em  sua simplicidade e plenitude e assim, sermos felizes!

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Fiéis companheiros

Shery

Zé Bob

Bebel

Zé Bob fazendo pose

Preta me dando apoio moral no TCC

Na soneca

se presta...

Bom, esses são meus amados, estão sempre comigo. Quando saio, minha mãe fala que eles ficam o tempo todo me procurando pela casa toda e no pátio. E eu, também sinto saudade deles...
Como podemos não amar criaturas tão doces????

segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Carta do Zé Agricultor Para Luis da Cidade

A carta a seguir - tão somente adaptada por Barbosa Melo - foi escrita por Luciano Pizzatto que é Engenheiro Florestal, especialista em Direito Sócio Ambiental, Empresário, Diretor de Parque Nacionais e Reservas do IBDF-IBAMA 88-89, detentor do Primeiro Prêmio Nacional de Ecologia.



Carta do Zé Agricultor Para Luis da Cidade.

Prezado Luis, Quanto Tempo.
Eu sou o Zé, teu colega de ginásio noturno, que chegava atrasado, porque o transporte escolar do sítio sempre atrasava, lembra né ? O Zé do sapato sujo? Tinha professor e colega que nunca entenderam que eu tinha de andar a pé mais de meia légua para pegar o caminhão por isso o sapato sujava.
Se não lembrou ainda eu te ajudo. Lembra do Zé Cochilo. hehehe, era eu. Quando eu descia do caminhão de volta para casa, já era onze e meia da noite, e com a caminhada até em casa, quando eu ia dormi já era mais de meia-noite. De madrugada o pai precisava de ajuda para tirar leite das vacas. Por isso eu só vivia com sono. Do Zé Cochilo você lembra né Luis?
Pois é. Estou pensando em mudar para viver ai na cidade que nem vocês. Não que seja ruim o sítio, aqui é bom. Muito mato, passarinho, ar puro... Só que acho que estou estragando muito a tua vida e a de teus amigos ai da cidade. To vendo todo mundo falar que nós da agricultura familiar estamos destruindo o meio ambiente.
Veja só. O sítio de pai, que agora é meu (não te contei, ele morreu e tive que parar de estudar) fica só a uma hora de distância da cidade. Todos os matutos daqui já têm luz em casa, mas eu continuo sem ter porque não se pode fincar os postes por dentro uma tal de APPA que criaram aqui na vizinhança.
Minha água é de um poço que meu avô cavou há muitos anos, uma maravilha, mas um homem do Governo veio aqui e falou que tenho que fazer uma outorga da água e pagar uma taxa de uso, porque a água vai se acabar. Se ele falou deve ser verdade, né Luis?
Para ajudar com as vacas de leite (o pai se foi, né .) contratei Juca, filho de um vizinho muito pobre aqui do lado. Carteira assinada, salário mínimo, tudo direitinho como o contador mandou. Ele morava aqui com nós num quarto dos fundos de casa. Comia com a gente, que nem da família. Mas vieram umas pessoas aqui, do sindicato e da Delegacia do Trabalho, elas falaram que se o Juca fosse tirar leite das vacas às 5 horas tinha que receber hora extra noturna, e que não podia trabalhar nem sábado nem domingo, mas as vacas daqui não sabem os dias da semana ai não param de fazer leite. Ô, bichos aí da cidade sabem se guiar pelo calendário?
Essas pessoas ainda foram ver o quarto de Juca, e disseram que o beliche tava 2 cm menor do que devia. Nossa! Eu não sei como encumpridar uma cama, só comprando outra né Luis? O candeeiro eles disseram que não podia acender no quarto, que tem que ser luz elétrica, que eu tenho que ter um gerador para ter luz boa no quarto do Juca.
Disseram ainda que a comida que a gente fazia e comia juntos tinha que fazer parte do salário dele. Bom Luis, tive que pedir ao Juca para voltar pra casa, desempregado, mas muito bem protegido pelos sindicatos, pelo fiscais e pelas leis. Mas eu acho que não deu muito certo. Semana passada me disseram que ele foi preso na cidade porque botou um chocolate no bolso no supermercado. Levaram ele para delegacia, bateram nele e não apareceu nem sindicato nem fiscal do trabalho para acudi-lo.
Depois que o Juca saiu eu e Marina (lembra dela, né? casei) tiramos o leite às 5 e meia, ai eu levo o leite de carroça até a beira da estrada onde o carro da cooperativa pega todo dia, isso se não chover. Se chover, perco o leite e dou aos porcos, ou melhor, eu dava, hoje eu jogo fora.
Os porcos eu não tenho mais, pois veio outro homem e disse que a distância do chiqueiro para o riacho não podia ser só 20 metros. Disse que eu tinha que derrubar tudo e só fazer chiqueiro depois dos 30 metros de distância do rio, e ainda tinha que fazer umas coisas para proteger o rio, um tal de digestor. Achei que ele tava certo e disse que ia fazer, mas só que eu sozinho ia demorar uns trinta dia para fazer, mesmo assim ele ainda me multou, e para poder pagar eu tive que vender os porcos as madeiras e as telhas do chiqueiro, fiquei só com as vacas. O promotor disse que desta vez, por esse crime, ele não ai mandar me prender, mas me obrigou a dar 6 cestas básicas para o orfanato da cidade. Ô Luis, ai quando vocês sujam o rio também pagam multa grande né?
Agora pela água do meu poço eu até posso pagar, mas tô preocupado com a água do rio. Aqui agora o rio todo deve ser como o rio da capital, todo protegido, com mata ciliar dos dois lados. As vacas agora não podem chegar no rio para não sujar, nem fazer erosão. Tudo vai ficar limpinho como os rios ai da cidade. A pocilga já acabou, as vacas não podem chegar perto. Só que alguma coisa tá errada, quando vou na capital nem vejo mata ciliar, nem rio limpo. Só vejo água fedida e lixo boiando para todo lado.
Mas não é o povo da cidade que suja o rio, né Luis? Quem será? Aqui no mato agora quem sujar tem multa grande, e dá até prisão. Cortar árvore então, Nossa Senhora! Tinha uma árvore grande ao lado de casa que murchou e tava morrendo, então resolvi derrubá-la para aproveitar a madeira antes dela cair por cima da casa.
Fui no escritório daqui pedir autorização, como não tinha ninguém, fui no Ibama da capital, preenchi uns papéis e voltei para esperar o fiscal vim fazer um laudo, para ver se depois podia autorizar. Passaram 8 meses e ninguém apareceu para fazer o tal laudo ai eu vi que o pau ia cair em cima da casa e derrubei. Pronto! No outro dia chegou o fiscal e me multou. Já recebi uma intimação do
Promotor porque virei criminoso reincidente. Primeiro foi os porcos, e agora foi o pau. Acho que desta vez vou ficar preso.
Tô preocupado Luis, pois no rádio deu que a nova lei vai dá multa de 500 a 20 mil reais por hectare e por dia. Calculei que se eu for multado eu perco o sítio numa semana. Então é melhor vender, e ir morar onde todo mundo cuida da ecologia. Vou para a cidade, ai tem luz, carro, comida, rio limpo. Olha, não quero fazer nada errado, só falei dessas coisas porque tenho certeza que a lei é para todos.
Eu vou morar ai com vocês, Luis. Mais fique tranqüilo, vou usar o dinheiro da venda do sítio primeiro pra comprar essa tal de geladeira. Aqui no sitio eu tenho que pegar tudo na roça. Primeiro a gente planta, cultiva, limpa e só depois colhe para levar para casa. Ai é bom que vocês e só abrir a geladeira que tem tudo. Nem dá trabalho, nem planta, nem cuida de galinha, nem porco, nem vaca é só abri a geladeira que a comida tá lá, prontinha, fresquinha, sem precisá de nós, os criminosos aqui da roça.

Até mais Luis.

Ah, desculpe Luis, não pude mandar a carta com papel reciclado pois não existe por aqui, mas me aguarde até eu vender o sítio.

(Todos os fatos e situações de multas e exigências são baseados em dados verdadeiros. A sátira não visa atenuar responsabilidades, mas alertar o quanto o tratamento ambiental é desigual e discricionário entre o meio rural e o meio urbano.)

#############

Recebi de uma amiga, o email que publico a seguir.

Convido a todos para uma profunda reflexão...

quinta-feira, 8 de setembro de 2011

7 de setembro

O QUE SIGNIFICA PARA NÓS O DIA 7 DE SETEMBRO?
A Independência do Brasil é um dos fatos históricos mais importantes de nosso país, pois marca o fim do domínio português e a conquista da autonomia política. Muitas tentativas anteriores ocorreram e muitas pessoas morreram na luta por este ideal.
 Mas fico me perguntando quantos Brasileiros realmente lembram (sabem) disso? Ou melhor, valorizam a Independência Brasileira?
Penso que isso começa em casa, na família, passa pela escola e deve ficar em nossos corações, sempre!

Essa voluntária de 2 anos e 11 meses é a Mariana, minha sobrinha! Ela participou do desfile, juntamente com a Banda da Escola Estadual Thomás Fortes, da cidade de Santiago-RS.