quarta-feira, 6 de julho de 2011

Faça o que eu digo, mas não faça o que eu faço

É com muita tristeza que vivencio isso a cada dia. Não sei, as vezes penso que estou no mundo errado, mas pelo que conheço da Doutrina Espírita, não estou, pois cada um de nós está e tem exatamente o que merece.
Sou uma pedra bruta, largada na terra para ser lapidada, aos pouquinhos! Sei que já passei por muita lapidação, melhorei muito, mas estou longe de ser um diamante.
Sim, sou uma pedra bruta, a qual reveste em seu meio um coração parcialmente  lapidado. Pode parecer pouco, mas me custou muito.
Foram talhas e mais talhas para conseguir esse coração assim, muitas dores e sofrimentos, perdas, golpes e mais golpes.
Mas sei que hoje, pelo menos alguma coisa boa brota de meu ser e uma das coisas que mais tento fazer é ser coerente com as palavras que saem de minha pobre boca.
Dói muito, no mais íntimo do meu ser, e isso também faz parte da lapidação, ouvir pessoas pregando veementemente coisas que nem de longe são capazes de fazer.
Dói muito ser "valorizada" na hora da dor, estar presente especialmente nas piores horas e depois ser esquecida. Esquecida pela mesma pessoa que foi acolhida com carinho e tratada com afeto em seu pior dia.
Também sou um cisco, frágil, que passo por momentos de dores terríveis. Esses momentos dolorosos ficam ainda mais pesados ao ouvir das pessoas amadas, que dediquei boa parte de meus dias a acalentar, ouvir, exatamente na hora em que mais preciso, a pergunta: que você tem? Está brava?Hoje não dá para parar perto de ti.
É, tem razão, nessa hora de dor não consigo ser aquela pessoa que acalenta, que conforta. Não consigo, isso ainda é uma coisa que preciso aprender.
Nesta hora, não preciso de muita coisa. Um alô, um: eu te entendo ou apenas um ABRAÇO e o ombro para chorar um pouquinho, seriam suficientes. Mas nunca a indiferença e a  acusação me fazendo sentir culpada por não estar me sentindo bem e não ser sempre aquela mesma pessoa "forte".
Não adianta alardear aos quatro cantos o que "os outros" precisam fazer para ficarem melhores, se virarmos as costas para quem está ao nosso lado necessitando de nossa presença. Ou um abraço é tão CARO assim? Não tenho como pagar um minuto do seu tempo, e por isso não sou digna dele?
Sabe, muitas vezes me pego nessa confusão de pensamentos e sentimentos. Mas uma coisa eu não consigo fazer: viver diferente das minhas concepções, agir de uma forma e ser e pensar de outra, não consigo.
Sei exatamente o ponto que essa pedra bruta precisa ser lapidada. O fazer, sem nada esperar em troca. E por isso a ingratidão se faz presente em meus dias, para que eu consiga ser polida, lapidada.
Obrigado meu Deus por coloar essas pessoas em meu caminho, mas... mesmo assim, um pedido eu deixo: seja coerente com suas palavras e com o que pregas.
E lembre-se: quando um sorriso em meu rosto faltar, é porque eu preciso de um sorriso  seu para talvez, me confortar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SINTA-SE A VONTADE AO FAZER SEU COMENTÁRIO...