segunda-feira, 27 de junho de 2011

Dez Mandamentos do Bom Administrador Público

1 – Planeje
2 – Cumpra o planejado
3 – Cumpra a lei
4 – Seja prudente
5 – Aprenda com a experiência
6 – Seja transparente
7 – Documente seus atos
8 – Mantenha assessoria técnica competente
9 – Seja eficiente e eficaz
10 – Seja ético – tenha sempre em vista o interesse público;
sem isso, todos os demais mandamentos não têm
sentido.
Fonte: Tribunal de Contas da União

##########
Sábios mandamentos, que se colocados em prática tornariam a vida dos cidadãos contribuintes, bem melhor!!!
Mas não podemos perder a esperança...

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Dicas para combater o desânimo

Mesmo que você seja uma pessoa hiper organizada e disciplinada, e acredita que o seu cérebro esta em completa sintonia com o seu corpo, ainda assim você vai sentir o cansaço natural. O seu dia sempre terá picos de falta de energia, e você tem de ter um controle para tentar mantê-lo sempre elevado, então ai vão as top dez dicas para energizar-se:

10. Faça os seus próprios produtos energéticos – É procure não recorrer a qualquer produto comprado em locais suspeitos e outros nem tanto, mas que tem um alto marketing. Existem algumas receitas simples para hidratar, água, suco de laranja, açúcar, e sal.
9. Ouça músicas clássicas – É sério, coloque algumas musicas clássicas no seu MP3, ouça naqueles momentos mais tensos, a sua energia voltará.
8. Saber lidar com tarefas chatas – Realmente não tem coisas mais irritantes do que aqueles serviços sem fim e ainda tendo alguém enchendo o saco. E ai as pequenas irritações vão se acumulando até chegar o ponto de explodir, portanto você tem estar antenado e descobrir formas de diminuir o estresse, que pode ser desde escrever um blog até entender que está na hora de tirar suas merecidas férias.
7. Agendar tarefas os picos de sua energia – Trata de mais ou menos tentar organizar suas tarefas mais importantes para aqueles horários que sua energia está no pico, algumas tarefas importantes devem ser evitadas para logo após o almoço, quando certa sonolência bate firme. Em outras palavras é tentar manter um cronograma para suas tarefas.
6. Sair do seu local de trabalho – A idéia que você deva sair do seu local de trabalho e caminhar ao ar livre, mesmo que o tempo não esteja bom, a idéia que você tome de 10 a 15 minutos de sol por dia, e fique longe do seu ambiente de trabalho por algum tempo.
5. Faça exercícios matinais – Não deixe pra depois, logo cedo, ao acordar se dedique algumas séries de exercícios, não precisa ser em nenhuma academia, pode ser em casa mesmo, o negócio é sacudir o corpo e acordar de vez.
4. Alimentação correta e balanceada – Se tem dúvidas, consulte um profissional, mas o negócio é evitar comer errado, principalmente logo cedo. Talvez um pão doce, por causa do açúcar lhe faça lhe dar alguma energia, mas em contrapartida poderá aumentar o seu nível de glicose. A proteína acaba queimando muito rápido, então o negócio é o equilíbrio, a regra é antiga e recorrente, mas não tem outra.
3. Coloque os seus sentidos pra trabalhar – É sério procure algum tipo de cheiro aromático, encontrado em alecrim, hortelã, ou pimenta, procure massagear o seu lóbulo da orelha com o polegar e o indicador, estimule o seu tato, procure fazer alguns choques térmicos procurando o frio. Em suma procure realmente estimular todos os seus sentidos.
2. Diminuir a cafeína – Você às vezes procura utilizar-se da cafeína para manter-se alerta e acordado, acaba bebendo jarras de café acaba a longo prazo tendo efeito contrário. É muito mais interessante que você continue tomando a sua cafeína, porém em doses menores e até mais freqüentes, também se utilizando de outros meios que não seja só o café, podendo ser em forma de chá, balas cafeinadas, chocolate ou em vez de tomar uma xícara inteira de café, quem sabe tomar meia.
1. Reinicialize-se – Como o computador, às vezes a memória vai chegando ao limite, você precisa então reinicializá-lo e ele volta cheio de energia. Assim também é como nosso corpo, se estiver realmente precisando de alguns tradicionais cochilos, pouco tempo, mas com certeza será o suficiente para voltar com outro pique.
http://blogdootimismo.blogspot.com/, mas saiu essa reportagem em revistas também.

################
São dicas valiosas e simples, deixamos passar oportunidades de nos sentir mais animados, simplesmente por desconhecimento.

sábado, 18 de junho de 2011

ARRAIÁ L'ITALIANA



Promoção de rodízio de pizza.
Venda de Comidas e Bebidas Típicas.

PREPAREM -SE
Será no próximo sábado, dia 25 de junho de 2011 a partir das 19 horas.


Viver é show fantástico

Você pode ter defeitos, viver ansioso, chorar e ficar irritado algumas vezes, mas não se esqueça de que sua vida é o maior tesouro do mundo.
Lembre-se sempre de que ser feliz não é ter um céu sempre azul, caminhos sem obstáculos, trabalhos sem fadigas, relacionamentos sem decepções.
Ser feliz É encontrar força no perdão, esperança nas batalhas, segurança no palco do medo, amor mesmo nos desencontros.
Ser feliz Não é apenas valorizar o sorriso a alegria, mas também refletir sobre a tristeza.
Não é apenas comemorar as vitórias, mas aprender lições nos fracassos.
Não é apenas alegrar-se como os aplausos, mas encontrar alegria na escuridão.
Ser feliz É reconhecer que vale a pena viver a vida, apesar de todos os desafios, incompreensões nos períodos de crise basta saber aproveitar.
Ser feliz Não é uma sorte do destino, mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu eu interior.
Ser feliz É deixar de ser vítima ou réu nos problemas, é se tornar o autor da própria história.
Ser feliz É atravessar desertos, ser capaz de encontrar um oásis escondido em sua alma.
É agradecer a cada manhã pela vida.
Ser feliz É não ter medo dos próprios sentimentos e saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um... "Não".
Ser Feliz É saber receber com segurança uma crítica, mesmo que seja injusta.
É beijar os filhos, é ter momentos poéticos com os amigos, mesmo que eles nos magoem.
É deixar viver a criança que cada um tem dentro de si.
Ser feliz É saber admitir quando errou e dizer "Eu errei".
É ser o primeiro a dizer "Me perdoe”
É ter sensibilidade para expressar
"O que você tem mais de profundo no coração".
É ter capacidade de dizer sem medo "Eu te amo".
Faça da sua vida um canteiro de oportunidades.
Que nas suas primaveras você seja amante da alegria.
Que nos seus invernos você seja amigo da sabedoria.
E finalmente Quando você desviar do caminho, comece tudo de novo.
Pois assim você terá cada vez mais amor pela vida e descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita.
Mas saber usar suas lágrimas para irrigar a tolerância.
Saber usar suas perdas para polir a paciência.
Saber usar suas falhas para construir a serenidade.
Saber usar os obstáculos para abrir as janelas da sabedoria.
Não desista nunca de si mesmo.
Não esqueça nunca as pessoas que te amam.
Não desista nunca de quem te ama.
Não desista nunca de ser feliz, pois...
VIVER É UM SHOW FANTÁSTICO!

######################
Boa semana a todos.
Que Deus na sua infinita bondade consiga tocar todos os corações endurecidos e aqueles iluminados, muito mais luz!!!!

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Mundo gato

 BEBEL


Siamês
Um nobre e elegante gato
O siamês é por muitos chamado de "o príncipe dos gatos", título conquistado por sua elegância de corpo e, também, pela graça de seus movimentos. Entre os gatos de pedigree, é o mais conhecido. Assemelha-se a uma estátua do Antigo Egito, possui um olhar enigmático e profundo; é um exótico bichano. Sua popularidade é tão grande que é considerada a segunda raça com maior número de nascimentos ao ano, só tendo à sua frente o Persa.
Sua personalidade é incomum. Algumas características, como o miado, diferenciam-nos dos demais felinos. Além disso, são muito ligados aos seus donos, de quem, em alguns casos, chegam a ter ciúmes. Especialistas comparam seu comportamento ao dos cães, pois se afeiçoam mais aos donos do que à casa propriamente. O que não é comum, de uma maneira geral, entre os gatos.
Imponente, o Siamês chama a atenção pelo físico esbelto e pela cor dos olhos. Com reações imprevisíveis em alguns momentos, seu humor muda de acordo com os acontecimentos. Pode-se dizer que é um pet temperamental, mas, sem dúvida, muito carinhoso.

Cuidados

A fêmea requer cuidados especiais no cio. Os sintomas são bastante fortes e podem ser notados por todos, pode rolar pelo chão, gemendo, ou correr pela casa, rasgando e arranhando tudo o que encontrar pela frente.
É importante que ela tenha um companheiro o mais rápido possível. Um mês depois do acasalamento, suas tetas começam a inchar e os filhotes podem ser sentidos em seu ventre. Eles nascem brancos e vão mudando de cor à medida que crescem.
O siamês oficial tem o corpo bem longilíneo, orelhas grandes e cabeça triangular; é gato de criadores, de exposições e de pessoas que admiram sua estrutura charmosa. Já o extra-oficial é mais rechonchudo, tem orelhas pequenas e cabeça redonda. Ter um siamês em casa é sempre uma festa, pois ele é atleta, brinca, corre, salta e faz acrobacias fantásticas.
Origem e História
Foi na Tailândia, antigo Sião, que os ocidentais viram esses gatos pela primeira vez, os quais ficavam cuidadosamente protegidos no palácio real de Bangkok. Foram levados para a Inglaterra em 1884 e se espalharam para outras partes do mundo, chegando aos EUA na década seguinte. Nessa época, os Siameses não eram tão elegantes como os atuais.
Com o crescimento de sua popularidade, muitas pesquisas foram realizadas na Tailândia e no resto da Indochina, mas não foi possível identificar de que felino descende o Siamês , no entanto, a origem asiática foi comprovada.

############
Há 4 anos ganhei a Bebel de presente do meu esposo. O Zé e a Shery vieram da primeira ninhada.
A Shery ficou com a gente porque foi rejeitada, era mirradinha, não conseguia mamar e aí amamentamos ela com mamadeira. O Zé era para minha afilhada, depois ficou para uma tia, ninguém quis. Ficamos com ele! Hoje o safado pesa quase 6 kg e todo mundo quer levá-lo para casa. Não deixamos por nada. Não tem preço!
Quanto à ligação com seus donos, podemos comprovar. Em nossa ausência ele fazem beiço até para comer. Ficam o dia todo fora de casa, esperando a gente chegar. Eles costumam esperar a gente da mesma forma que os cachorros esperam.
Trocamos de casa uma vez, eles logo se adaptaram e não tivemos problema nenhum por causa disso.
A Bebel é a mais nervosinha, já mordeu muita gente, inclusive nós! Mas não sai de perto, nunca!
Os outros são mais dóceis, só mordem mesmo a ração, hehehe!!!
Ah, e basta deitar que todos eles acham um jeitinho de deitarem em cima de mim. E eu deixo, claro. 
O Zé gosta muito de colo e muitas vezes a gente dá um colinho quando está no computador e ele logo dá um jeito de apertar as teclas (sobe em cima).São criaturas maravilhosas.
Não sei porque, mas basta o Carlos falar com eles e logo respeitam e eu nem me ouvem (coisas de mãe, eu acho, hehhe)
Eles são mais que TERAPIA para mim, são amigos, parceiros, fiéis!!!

terça-feira, 14 de junho de 2011

OS CORRUPTOS



OS CORRUPTOS
SÃO ININTERRUPTOS,
E OSTENTAM-SE
IMPOLUTOS.
TORPES OU CULTOS,
SÃO ASTUTOS, DISSIMULADOS
E RESOLUTOS.
OS CORRUPTOS
NÃO SÃO ESTÚPIDOS,
EMITEM MIL REVERÊNCIAS
A CADA MINUTO.
OS CORRUPTOS
TEM CONSCIÊNCIA RASA
E BOLSOS ABRUPTOS.
ESQUEMAS LARGOS,
OU CURTOS
SEMPRE SECRETOS,
OCULTOS.
FLAGRADOS EM FURTOS
DE VULTO
NUM CURTO CIRCUITO
O TUMULTO.
É PRECISO SER ESTULTO
PRA ESQUECER
QUE O INDULTO,
JÁ FAZ PARTE
DESSE CULTO....
(O CÁRCERE
É REDUTO
ONDE NÃO CABEM,
FAUSTOS E PLUTOS).
CORRE TUDO
POR DECURSO.
UM DISCURSO CÊNICO,
TÊNUE LÁGRIMA
E UM RECURSO...
OS CORRUPTOS
SE ALASTRAM
NO REDUTO DAS SIGLAS
MINISTÉRIOS, TOGAS,
BATINAS E COTURNOS.
OS CORRUPTOS
SÃO HÁBEIS, NUNCA ESTÚPIDOS,
E ALIAM-SE A CÚMPLICES
DE VULTO
NA PRÁTICA DO AUXÍLIO
MÚTUO.
OS CORRUPTOS
SE APOSSAM
DOS FRUTOS
DO ALHEIO TRABALHO
SEM NENHUM
ESCRÚPULO.
LUIZ CORONEL

#######
Achei interessante.........

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Ação das Trevas nos Grupos Espiritas

Na mensagem abaixo não consta o autor e nem mesmo o centro espírita no intuito de preservar sua identidade e, assim sendo, evitar represálias daqueles que não creem na vida após a morte. Encaminho a vocês para que repassem àqueles que acreditam e, principalmente, àqueles que fazem algum trabalho em alguma casa espírita. Infelizmente, muitos de nós acreditamos que pelo simples fato de sermos espíritas as portas do paraíso já estão escancaradas e deixamos que nosso ego fale mais alto em nossos trabalhos, quando deveríamos deixar que apenas o amor e a humildade fossem nosso guia.

Prezados irmãos:que jesus nos abençoe e nos fortaleça no seu amor.
Quando nos propomos a falar da ação das trevas nos grupos espíritas, antes de tudo precisamos saber de quais espíritos estamos falando, porque a grande maioria de espíritos obsessores que vêm às casas espíritas são mais ignorantes do que propriamente maldosos.
No livro não há mais temp, organizado pelo espírito klaus, nós publicamos uma comunicação de um verdadeiro representante das organizações do mal e percebemos que há uma grande diferença entre o que nós classificamos como espíritos obsessores e os verdadeiros representantes das trevas.
Eu estava presente na reunião na qual essa entidade se manifestou.
Quando o espírito incorporou a doutrinadora disse: seja bem vindo meu irmão!
- Ele respondeu: em primeiro lugar não sou seu irmão, em segundo lugar eu conheço o seu sentimento. Sei que você não gosta nem das pessoas que trabalham com você na casa, que dirá de mim que você não conhece, por isso, duvido que eu seja bem vindo aqui! Ela ficou um tanto desconsertada, porém, disse:
- Mas meu irmão, veja bem, isto aqui é um hospital!
- Ele respondeu: muito bem, agora você vai dizer que eu sou o doente e que você vai cuidar de mim, não é isto?
- Ela disse:sim!
- Pois bem, e quem garante para você que eu sou um doente? só porque eu penso diferente de você? Aliás, o que a faz acreditar que possa cuidar de mim? Quem é que cuida de você? Porque suponho que quando alguém vai cuidar do outro, este alguém esteja melhor que o outro e, francamente, eu não vejo que você esteja melhor que eu.
- Porque eu faço o mal? Porque sou combatente das idéias de jesus? sim, é verdade, mas admito isto, enquanto que você faz o mal tanto quanto eu e se disfarça de espírita boazinha?.
- Outro doutrinador disse: meu irmão, é preciso amar!
- O espírito respondeu: acabou o argumento. quando vocês vêm com esta ladainha que é preciso amar é que vocês não têm mais argumentos!
- Mas o amor não é ladainha meu irmão.
- Se o amor não é ladainha por que o senhor não vai amar o seu filho na sua casa? Aliás, um filho que o senhor não tem relacionamento há mais de 10 anos. Se o senhor não consegue perdoar o seu filho que é sangue do seu sangue, como é que o senhor quer falar de amor comigo? o senhor nem me conhece.
- Vieram outros doutrinadores e a história se repetiu até que, por último, veio o dirigente da casa e com muita calma disse: não é necessário que o senhor fique atirando estas verdades em nossas faces, nós temos plena consciência daquilo que somos, sabemos que ainda somos crianças espirituais e que precisamos aprender muito!
- O espírito respondeu: até que enfim alguém com coerência neste grupo, até que enfim alguém disse uma verdade. Concordo com você, realmente vocês são crianças espirituais e como crianças não deveriam se meter a fazer trabalho de gente grande, porque vocês não dão conta!

Como agem os espíritos representantes das trevas em nossos núcleos espíritas?

Como vimos, os verdadeiros representantes das trevas além de maldosos são, também, extremamente inteligentes. São espíritos que não estão muito preocupados com as casas espíritas. Eles têm suas bases nas regiões da sub-crosta. são espíritos que estiveram envolvidos, por exemplo, na 1ª e 2ª guerras mundiais e no ataque às torres gêmeas nos estados unidos. São os mentores intelectuais de Bin Laden, de Sadam Hussein e de inúmeros outros ditadores que já passaram pelo mundo, porque eles têm um plano muito bem elaborado, que é o de dominar o mundo. Os grupos espíritas não apresentam tanto perigo para eles.

Esses espíritos estarão sim atacando núcleos espíritas desde que o núcleo realmente represente algum perigo para as intenções das trevas. Portanto, quando nós falamos das inteligências do mal nós estamos falando destes espíritos que têm uma capacidade mental e intelectual muito acima da média em geral. Normalmente não são esses espíritos que se comunicam nas nossas sessões mediúnicas. Normalmente eles não estão preocupados com os nossos trabalhos, a não ser que esses trabalhos estejam bem direcionados, o que é muito difícil, e represente algum perigo para eles.
 Nós que vivemos e trabalhamos numa casa espírita sabemos bem dos problemas encontrados nas atividades desses grupos. Para ilustrar vou contar para vocês um fato verídico ocorrido numa casa espírita.
Uum espírito obsessor incorporou na sessão mediúnica e disse para o grupo: nós viemos informar que não vamos mais obsediar vocês, vamos para o outro grupo!
- Houve silêncio até que alguém perguntou: vocês não vão mais nos obsediar, por quê?
- O espírito respondeu: existe nesta casa, tanta maledicência, tanta preguiça, tanto atrito, tantas brigas pelo poder, tantas pessoas pregando aquilo que não praticam, que não precisamos nos preocupar com vocês, você mesmos são obsessores uns dos outros!

Por que realizar um seminário ressaltando a ação das trevas? falar do mal não é ajudar o mal a crescer?

No livro a arte da guerra está escrito: se você vai para uma guerra e conhece mais o seu inimigo que a você mesmo, não se preocupe, você vai vencer todas as batalhas. Se você conhece a si mesmo, mas não conhece o inimigo, para cada vitória você terá uma derrota. Porém, se você não conhece nem a si mesmo e nem ao inimigo, você vai perder todas as batalhas.
 infelizmente, a grande maioria das pessoas não conhece a si mesma, têm medo da reforma intima, têm medo do que vão encontrar dentro de si. Negam a transformação interior.
Precisamos falar das trevas para conhecermos as trevas. Se não conhecermos como eles manipulam os tarefeiros espíritas como é que vamos saber nos defender deles?
Para isso é preciso refletirmos nesta condição de nos conhecermos, até porque toda ação das trevas exteriores é um reflexo das trevas que nós carregamos dentro de nós. É preciso realmente realizarmos a nossa reforma interior para sairmos da sintonia dessas entidades.

E os guardiões que cuidam do centro, como é que fica?

Não podemos esquecer que os benfeitores espirituais trabalham respeitando o nosso livre arbítrio.
 Uma casa espírita como esta possui o seu campo de proteção, uma cerca elétrica construída pelos benfeitores, porém, quem a mantém ligada são os trabalhadores encarnados. Toda vez que há brigas dentro do centro, toda vez que há grupos inimigos conflitando-se, toda vez que há maledicências, é como se houvesse um curto circuito nesta rede, é como se houvesse uma queda de energia, e as entidade do mal entram.
Os benfeitores espirituais estão presentes, a rede é religada, mas, as entidades dos mal já entraram. O grande problema é que quase sempre nós não estamos sintonizados com o bem. A ação do bem em nossa vida é fundamental..

-Por exemplo: o umbral não é causa, o umbral é efeito. Só existe o umbral, a zona espiritual inferior que cerca o planeta, porque os homens têm sentimentos medíocres e inferiores.
No dia que a humanidade evoluir, o umbral desaparece, porque ele é conseqüência! Por isso que não podemos nos esquecer que as trevas exteriores são apenas uma extensão das nossas trevas interiores. Existe, sim, a proteção espiritual nas casas espíritas, porém, os espíritos amigos respeitam o nosso livre arbítrio.

Como é que os grupos espíritas podem se defender das trevas?

- havendo muita sinceridade, amizade verdadeira e, principalmente, muito amor entre todos os colaboradores do grupo.
- existindo a prática da solidariedade, carinho e respeito para com todas as pessoas que buscam o grupo ou para estudar ou para serem orientadas ou para receberem assistência espiritual..
- havendo muito comprometimento com a causa espírita.
- realizando, periodicamente, uma avaliação dos resultados obtidos, para verificar se os três itens anteriores estão realmente acontecendo .


Corrige em ti o que te desagrada em mim. (emmanuel)


URL da fonte: http://visaoespiritabr.com.br/moral-crista/acao-das-trevas-nos-grupos-espiritas

Link direto: http://www.lema.not.br/novo.php?id=110601122934

Integração do Centro Espírita na Sociedade

Temos visto Centros Espíritas insistirem em se colocar numa atuação intra-muros, desvinculados até mesmo da rua em que se localizam, completamente alheios à comunidade que os envolve. Erro fatal para divulgação da própria Doutrina Espírita, que dirá para o esclarecimento do ser humano!


Sendo o Centro Espírita uma estrutura social humana, embora com ascendente espiritual, insere-se que ele faça parte – e o faz – da sociedade dos homens. Está, portanto, na dinâmica de relacionamento dos seres que vivem em coletividade. Se assim não fosse, seu isolamento o igrejificaria, tornando-o apenas um ponto de convergência religioso que, historicamente, já sacrificou diversas religiões que transcende o aspecto meramente religioso, e que ele deve ser entendido como um doutrina, um conjunto de princípios norteadores da vida. Sua base filosófica é mesmo sua força, mas que não se perde no labirinto confuso dos sofismas, porque tem por razão a pesquisa científica. Acreditamos na reencarnação pela lógica, pelo bom-senso e pelos fatos comprovados. E a religião, que deve esclarecer o homem quanto à sua origem, destinação e ligação com Deus, no Espiritismo ganha vida prática, porque entranha-se no dia-a-dia do cotidiano humano. Só compreendemos a paternidade divina se a vivenciarmos em nós e para os outros. O isolamento é sempre um mal que devemos combater. Ninguém se forma em medicina pelo simples fato de cursar teoria médica na universidade. E a prática? O mesmo raciocínio devemos aplicar no Espiritismo. Não basta freqüentar um Centro Espírita para tornar-se Espírita. É preciso aprender na teoria e vivenciar na prática. Essa conjugação deve ser propiciada pelo Centro Espírita dentro de sua organização e também para fora desta.
O Centro Espírita que se isola da sociedade não participando das problemáticas desta, tende a se distanciar dos interesses da mesma, pois não estará colocando o Espiritismo ao nível das aspirações humanas.
São de dois tipos a forma de participação na sociedade: interior e exterior.
Comecemos pela forma interior.
A programação de estudo doutrinário do Centro Espírita não pode obedecer a padrões rígidos, inflexíveis e mesmo cegos, de abordagem das obras da Codificação. "O Livro dos Espíritos" é dinâmico e contém temas que se prestam à análise das vicissitudes do homem na Terra. Sua leitura deve ser feita com duplo interesse: conhecer o Espiritismo e esclarecer o homem quanto ao uso que faz de sua potencialidade intelectual e moral. Em outras palavras: o estudo das obras da Codificação deve estar associado à discussão dos temas cotidianos da vida, para que o freqüentador do Centro Espírita saiba colocar em prática a doutrina que aprende. É por isso que Kardec se preocupou em agrupar perguntas e respostas por temas, e nos coloca tanto diante do "aborto" quanto do "conhece-te a ti mesmo". Preparar o homem para bem viver na sociedade é tarefa do núcleo espírita.
Exteriormente temos a ação espírita nos setores da assistência social, do evangelho no lar, da aplicação domiciliar do passe, da utilização das artes e mesmo das realizações beneficentes para angariação de fundo financeiro. Todas essas demonstrações da prática espírita envolvem o elemento social. São feitas com a participação do homem no seio da sociedade. Destinam-se a estar com ele no que ele é, onde está e com suas necessidades imediatas. As atividades externas do Centro Espírita devem se adequar ao público que irá atingir, o que requer planejamento, organização e trabalhadores conscientes, o que só poderá ocorrer se estes forem bem assistidos no interior do Centro Espírita.
Quando visitamos alguém para aplicação do passe ou pequena leitura evangélica, estamos colocando em prática, vivenciando, o aprendizado espírita que o Centro nos forneceu. Estamos agindo na sociedade e sendo porta-voz do Espiritismo através da ação mais contundente que existe: o próprio exemplo. Nossa conduta, muito além que nossas palavras, dirá da nossa convicção e retratará a doutrina e a instituição que representa.
O Centro Espírita não é uma igreja parada no tempo. É um lar/escola dinâmico que visa carinho e afeto, estudo e trabalho, sempre preocupado em colocar o Espiritismo ao alcance de seus freqüentadores e respondendo às dúvidas e observações as mais diversas, tendo por base a codificação kardeciana. Não lhe cabe agir como instrumento político, mas cabe-lhe fazer a política da educação espiritual das almas que lhe comungam os ideais.
Temos visto Centros Espíritas insistirem em se colocar numa atuação intra-muros, desvinculados até mesmo da rua em que se localizam, completamente alheios à comunidade que os envolve. Erro fatal para divulgação da própria Doutrina Espírita, que dirá para o esclarecimento do ser humano!
As reuniões públicas de estudo, como o nome já indica, são feitas para a população, para todos os interessados, seja qual for o motivo que os levou ao Centro, pois procuram o Espiritismo e devem ser atendidos. Entretanto, como pode o público acorrer ao Centro Espírita se não é informado do que neste acontece?
Uma placa na entrada com os dias e horários das atividades. Uma recepção com distribuição de mensagens avulsas, jornais e revistas espíritas, além de prestar todas as informações aos visitantes. Um boletim informativo que possa ser distribuído gratuitamente. Um cartaz nas associações de moradores da localidade. Pequenos exemplos de serviços que podem ser executados para a boa integração do Centro Espírita na sociedade, além de outro serviço muito importante: o exemplo, o ir em socorro ao próximo, não esperando apenas que este venha à procura.
A falta de renovação dos trabalhadores do Centro Espírita, quando não ocasionada por distorções administrativas, pode ter sua origem no isolacionismo em que se acomoda o núcleo representante da Doutrina, fazendo um Espiritismo fechado em quatro paredes.
Que um grupo familiar não se renove é compreensível, afinal trata-se de um grupo restrito e de caráter domiciliar, mas um Centro Espírita deve obedecer a uma organização ativa e participativa, integrada no conhecimento e solução dos problemas sociais, mesmo que para isso o trabalho tenha de ser de longo curso, até a conscientização dos que freqüentam as atividades realizadas em seu interior.
A todo freqüentador deve ser mostrada a diferença existente entre ele e um trabalhador, pois sentar e ouvir uma palestra e depois tomar o passe, sem nenhum vínculo de responsabilidade, não o pode categorizar como um trabalhador sincero do Centro Espírita, que dedica seu tempo, voluntariamente, para a causa que abraça. Para isso, deve o Centro Espírita permitir a participação de todos os que o procuram, nos diversos serviços existentes, dando a cada um segundo o seu conhecimento e experiência.
Assim temos que a integração do Centro Espírita na sociedade é inevitável e inadiável.
Se o Espiritismo existisse apenas para os desencarnados, o Centro Espírita não teria razão de existir, pois é de todos os tempos sabido que o intercâmbio mediúnico não é privilégio de ninguém, podendo ser praticado em qualquer lugar, embora reconheçamos que o Centro Espírita é o local melhor indicado, pela seriedade, reconhecimento e estudo que o caracteriza.
O Espiritismo está no mundo para interagir como todo o conhecimento humano, e o Centro Espírita existe para conviver com toda a sociedade humana.
Marcus Alberto De Mario
Rio de Janeiro - RJ
(Publicado no Dirigente Espírita no 66 de julho/agosto de 2001)

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Advertência


 Existem jóias raras na literatura mundial, por vezes até de autor considerado anônimo. Há alguns dias, em uma obra, colhemos a seguinte advertência, exatamente nesses moldes de que falamos:
Um dia chegará em que, num determinado momento, um médico comprovará que meu cérebro deixou de funcionar e que, definitivamente, minha vida neste mundo chegou ao seu fim.
Quando tal coisa acontecer, não digas que me encontro em meu leito de morte.
Estarei em meu leito de vida e cuida para que esse corpo seja doado para contribuir de forma que outros seres humanos tenham uma vida melhor.
Dá meus olhos ao desgraçado que jamais tenha contemplado o amanhecer, que não tenha visto o rosto de uma criança ou, nos olhos de uma mulher, a luz do amor.
Dá meu coração a alguma pessoa cujo coração só lhe tenha valido intermináveis dias de sofrimento.
Meu sangue, dá-o ao adolescente resgatado de seu automóvel em ruínas, a fim de que possa viver até poder ver seus netos brincando ao seu lado.
Dá meus rins ao enfermo, que deve recorrer a uma máquina para viver de uma semana à outra.
Para que um garoto paralítico possa andar, toma toda a totalidade de meus ossos, todos os meus músculos, as fibras e os nervos todos de meu corpo.
Mexe em todos os recantos de meu cérebro. Se for necessário, toma minhas células e faze com que se desenvolvam, de modo que, algum dia, um garoto sem fala consiga gritar com entusiasmo ao assistir a um gol, e uma garotinha surda possa ouvir o repicar da chuva contra o vidro da janela.
O que sobrar do meu corpo, entrega-o ao fogo e lança as cinzas, ao vento, para contribuir com o crescimento das flores.
Se algo tiveres que enterrar, que sejam os meus erros, minhas fraquezas e todas as minhas agressões contra o meu próximo.
Se acaso quiseres recordar-me, faze-o com uma boa obra e dizendo alguma palavra bondosa ao que tenha necessidade de ti.
*   *   *
As palavras de advertência desse anônimo nos convidam a meditar no tesouro que possuímos, que é nosso corpo físico.
Tantos esquecemos de render graças a Deus por essa maquinaria maravilhosa, tanto quanto nos olvidamos de lhe providenciar, após a morte física, o devido destino.
Tantas são as campanhas em prol da doação de córneas, de rins e vamos protelando sempre para mais tarde a decisão de prescrever nossa doação.
Sem nos esquecermos de que, enquanto ainda dispondo do corpo de carne, podemos nos tornar regulares doadores do valioso líquido, que representa a vida e se chama sangue.
Meditemos se não estamos sendo demasiado egoístas em não disponibilizar esse tesouro para que outros vivam e vivam de forma abundante.
*   *   *
A retirada das córneas, após a morte, de forma alguma deforma ou mutila o cadáver. Essa é a preocupação de alguns possíveis doadores, que não desejam agredir a família.
Os rins podem ser retirados do cadáver até seis horas após ter ocorrido a morte.
Para o Espírito do doador não ocorre mutilação, ao contrário, tais atitudes revelam desprendimento e grandeza d'alma.
Redação do Momento Espírita com base no texto
Em minha lembrança, de autoria anônima.
###################################################################################
No momento em que minha família materna vive um momento singular, em que uma irmã da minha mãe (tia), fez um transplante renal ( o esposo vivo foi o doador), a gente se dá conta do quanto um gesto de doação de órgãos pode transformar VIDAS. 
Mesmo que ainda estejamos vivos, temos maneiras de doar (sangue, rins). E ao morrermos, porque não permitir que outros irmãos continuem a viver com partes de nosso corpo físico? Afinal, qual o destino dos corpos? Qual a utilidade se não doarmos?


segunda-feira, 6 de junho de 2011

L' ITALIANA

Nova Esperança do Sul conta com mais uma opção comercial. É a Cantina e Pizzaria L'Italiana.
Um espaço aconchegante, comidas com um sabor sem igual e atendimento personalizado.
Os proprietários da L'Italiana trazem para Nova Esperança do Sul, a experiência de mais de 20 anos de trabalhos na pizzaria Donn Vitto de Porto Alegre.
A massa da pizza tem receita própria e fabricação caseira.
Outro produto que está se destacando é o PASTEL L'ITALIANA.
Venha conferir! Rua Barão do Amazonas, 1321- Nova Esperança do Sul/RS
 Ou Use o serviço de TELE ENTREGA, ligando para 55-3258-1530.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

A Hora da Verdade

Está chegando o momento. Dentro de pouco tempo você será um recém formado. Congratulações!
Espero que tenha curtido bastante a colação e o baile de formatura, se comprou um anel, use-o com orgulho; porque, de agora em diante, começarão os seus problemas.
Esteja trabalhando ou não, você irá defrontar-se com a verdade; ou seja, como exercer na plenitude tudo aquilo que aprendeu na Universidade.
Antecipo: não vai. E se isso for demasiado importante para você, prepare-se para sofrer muito.
Você será apresentado à máxima “na teoria a prática é outra”. Muito do que você aprendeu, na verdade não aprendeu, foi informado e adquiriu, na melhor das hipóteses, uma boa visão sobre o assunto, mas introdutória.
O jogo mesmo vai começar agora.
Não se assuste nem perca o ânimo, tem sido assim há muito tempo.
O erro fundamental não é seu, é do processo de formação de pessoas que adotamos no país.
Muitos já vivenciaram isso antes de você e, de uma forma ou de outra, superaram o trauma.
Você também irá superar.
Há uma receita infalível para minimizar as coisas e compreender a realidade do mundo do trabalho: humildade e bons ouvidos.
Ser humilde, para aprender; e ouvir, para saber como as pessoas trabalham há muito tempo.
Isso o tornará bem aceito; as pessoas valorizam a humildade e apreciam ser ouvidas.
Não hesite em perguntar muito, mesmo que você saiba, ou pense que saiba.
Você vai descobrir muita coisa e aprender outras tantas.
Seja criterioso em suas avaliações e escolha um mentor.
Discuta com ele suas angustias e visões profissionais e, principalmente, leve a sério suas indicações e recomendações.
Isso vai amadurecê-lo e ajudará muito a formá-lo como bom profissional.
Atente apenas para ter como tutor alguém de bom caráter e que seja reconhecido como profissional sério e competente.
Empresas bem estruturadas costumam fazer isso; elas mantém estruturas focadas no desenvolvimento de jovens profissionais e, o que é melhor, crêem nisso.
De toda forma, prepare-se para ter que fazer por si mesmo.
Essas dicas práticas que estou apresentando poderiam ser denominadas de gestão de carreira.
Ou a empresa faz isso ou você assume o controle do processo.
Outro ponto importante é:
estude sempre e muito e, fundamentalmente, sobre tudo, principalmente temas distintos dos da sua área de atuação na empresa. Com isso você ampliará sua empregabilidade e estará se candidatando naturalmente a promoções horizontais e a “job rotations”.
Sucesso profissional é algo que depende de muita dedicação e constante aperfeiçoamento.
Não confunda dedicação com trabalhar 14 horas por dia.
Isso o afastará do sentido da vida e não tardará a trazer-lhe conseqüências pessoais nefastas. Manter a mente arejada e sadia é fundamental. Leia muito: poesia, romance, ficção e livros profissionais também.
Ouça música: varie os gêneros, experimente alguns que você nunca se apercebeu.
Vá ao cinema e ao teatro. Visite museus. Mas principalmente, ame muito. O trabalho é meio subsidiário disso tudo, jamais o contrário.
Eu só quis oferecer um alerta para que você não chegue na empresa imaginando que ninguém sabe nada e que só você ‘manja’ de tudo.
Você sabe algumas coisas, com as quais deve contribuir, mas o fato é que tem muito a aprender e a Universidade não ensinou.
Principalmente, a Universidade não ensina a viver. Viver é um exercício diário de sentir e perceber o mundo a partir e com os seus semelhantes. Se você entender isso, terá dado o primeiro passo para uma carreira brilhante.

 Por Sérgio Compagnoli - Consultor de Gestão. Pós graduado em Especializado em Administração de Recursos Humanos pela Fundação Getúlio Vargas-SP. 25 anos de experiência em Recursos Humanos e Gestão de Sistemas da Qualidade. Especializado em Treinamento e Desenvolvimento de Pessoas e Implementação de Sistemas da Qualidade – ISO 9000.

##############
Essa é uma realidade que aconteceu comigo.
Sempre que nos aproximamos do momento da "formatura", pensamos que estamos com tudo... ninguém sabe mais que nós que lemos 16 livros para o trabalho de conclusão do curso.
Mera petulância e falta de humildade!!!! Os livros são úteis sim, trazem muitas informações. Adoro ler, estou sempre lendo, não leio apenas quando estou concluindo um curso(hehehhe).
Mas a verdade é que a prática é bem diferente do que costumamos ler nos livros e aprender nos cursos por aí. Não me refiro apenas em questões profissionais, essa realidade egloba todos os aspectos da nossa visa, inclusive dentro de uma instituição religiosa, social, cultural,etc...
Ah, conto como a realidade aconteceu comigo: em 2001, quando me formava em Administração decidi, juntamente com uma amiga a abrir uma loja de confecções. UAUHHH!!!! Eu sabia tudo de administrar, hehehe.
Na mesma oportunidade abria uma outra loja no mesmo ramo, e eu comentei: eles não são páreo para nós! Não foram mesmo, eu e minha amiga quebramos em pouco mais de um ano e eles continuam com a loja de vento em popa até, hoje, depois de 10 anos....
A principio o trauma, a desilusão e só depois fui entender a dura realidade do significado de uma FORMATURA.
Humildade nunca faz mal a ninguém, eu aprendi!!!!!!