quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Para pensar....

Me encontro a sós com o meu pensamento,
Ainda penso nas coisas que eu tenho a fazer,
Uma nova vida se faz a cada novo momento,
Revejo agora o que nunca poderei esquecer;
Ilhada me encontro nos solitários caminhos,
Consigo, às vezes, sair só para me procurar,
Imagino-me como sendo o último dos linhos,
Onde estou? E eu estou em qualquer lugar...

Via-me procurando o sentido da minha vida,
Ainda perdido, mesmo não sendo por querer,
Guardo aberta em meu coração minha ferida,
Não consigo pensar ou apenas deixar de crer,
Enquanto eu não vencer essa estrada sofrida,
Relembro-me de tudo aquilo que me fez sofrer...

Algum dia reencontrarei o meu verdadeiro eu,
Brilha no coração a vontade de me encontrar,
Isso ainda é difícil, pois a minha vida se doeu,
Soube simplesmente se doer, só para se doar...
Segundo tudo aquilo o que ainda está por vir,
Uma vida procura em vão seu belo momento,
Lembranças turvas virão bem antes de partir,
O que ninguém imagina é o mesmo tormento...

Mas as nossas verdadeiras palavras voltarão,
Amigo, a vida se dá somente para quem se deu,
Guardo em minha vida a marca de uma ilusão,
Hoje carrega dentro de mim tudo o que sofreu,
Ilustra os meus sonhos um pouco de solidão,
Amanhã o tempo muda, e quem muda sou eu,
Somente para dizer qual será minha solução...

Autora:Tatiana Monteiro Costa

quarta-feira, 29 de setembro de 2010

PEC (Projeto de Emenda Constitucional) da Felicidade

O relator da PEC da Felicidade no Senado, Arthur Virgílio (PSDB-AM), enviou esta semana à Comissão de Constituição e Justiça seu voto favorável ao projeto, de autoria do senador Cristovam Buarque (PDT-DF). Embora os trabalhos da comissão estejam parados em função do recesso branco, a proposta poderá entrar na pauta de votação logo após a retomada das atividades. O relator, entretanto, apontou a necessidade de se aprimorar a redação, que poderá ser formatada com a colaboração dos membros que integram a CCJ.
A proposta foi protocolada na Casa pelo senador Cristovam Buarque em junho deste ano. Na linha das discussões mais modernas que há no mundo a respeito dos indicadores econômicos, no sentido de que eles devem levar em conta o grau de satisfação do cidadão, o texto altera o artigo 6º da Constituição, que trata dos direitos sociais, acrescentando que a sua obtenção é algo essencial para a busca da felicidade. Diz a emenda: “São essenciais à busca da felicidade, a educação, a saúde, a alimentação, o trabalho, a moradia, o lazer, a segurança, a previdência social, a proteção à maternidade e à infância, a assistência aos desamparados, na forma desta Constituição”. Em seu relatório, Arthur Virgílio também sugere que seja retirado do artigo 6º o direito à moradia e acrescentado o direito à alimentação.
###############################
Que me perdoem os apoiadores dessa iniciativa, mas acho um absurdo termos que conviver com a máxima: Felicidade agora é "dever do Estado"!
Concordo que tendo casa, emprego, segurança, assistência médica,alimento, terei mais energia para buscar a felicidade. Mas discordo que o respeito a esses direitos sociais básicos garantam a felicidade de alguém.Discoro que essa seja condição suficiente e absolutamente necessária para encontrar a felicidade.
Para mim a felicidade consiste no AUTOCONHECIMENTO E NA TRANSFORMAÇÃO MORAL de cada pessoa.
Que possamos viver nossa vida com o propósito de melhorar a cada dia, assim estabelecendo o projeto de vida: SER FELIZ!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Agora é definitivo: RPPS é obrigado a ter CNPJ

 EXIGÊNCIA DE CNPJ ESPECÍFICO PARA RPPS INSTITUIDOS COMO FUNDOS

(27/09/2010 - 11:01)
Como já noticiado pela Nota RFB nº 114, encaminhamos para conhecimento a NOTA COSIT nº 284, ambas demonstrando a exigência do CNPJ para os RPPS instituídos apenas como fundos.
Att.
Otoni Gonçalves Guimarães
Coordenador Geral de Auditoria
Atuaria Contabilidade e Investimentos
DRPSP/SPS/MPS
Para maiores informações acesse:
http://www.abipem.org.br/sites/900/905/00003741.pdf
http://www.abipem.org.br/sites/900/905/00003742.pdf

######################
Conforme email recebido e disponível no site da ABIPEM, agora não restam mais dúvidas sobre a necessidade dos RPPS, mesmo que constituídos sobre a forma de FUNDOS, estarem inscritos no CNPJ.

segunda-feira, 27 de setembro de 2010

Vale a pena confiar nas pessoas?

Essa é uma questão que vira e mexe as pessoas me perguntam: vale a pena confiar em alguém? Responder a essa pergunta não é uma tarefa das mais simples. As variáveis são muito grandes e o risco maior ainda. Pessoas são muito complexas e imprevisíveis. Delas se pode esperar tudo. Nunca conhecemos alguém de verdade. Uma pessoa pode sair com uma ação (ou reação) que nunca esperávamos dela. Então, na minha humilde opinião, a resposta é: depende.

Depende. Depende de vários fatores. Do quanto conhecemos essa pessoa, do seu caráter, da sua sinceridade e principalmente dos seus atos.
Pessoalmente, eu tenho um problema muito grande com isso. Talvez por ter uma certa ingenuidade eu não consigo ver o mal nas pessoas. Não consigo imaginar que alguém vá enganar, roubar ou mentir.
Fonte: http://www.centenaro.org/fabio/vale-a-pena-confiar-nas-pessoas

######################
Parte da postagem do Fábio Centenaro é o que estou a me questionar. Só que se vocês acessarem o site perceberão que ele acha que sempre vale a pena confiar, dar uma chance.
Queria pensar assim, mas neste momento me é impossível!!!! Por ingenuidade, por acreditar que não seria enganada, eu fui..... e ainda por cima, quem me enganou tentou fazer com que eu passasse vor vilã.
Espíritos de LUZ iluminem essa pessoa, e meu coração para não se sentir ferido!
Eu continuo com a velha frase, que agora não me lembro o autor, mas que diz assim: Quanto mais conheço as pessoas mais amo os animais!

sábado, 25 de setembro de 2010

Madre Teresa

A maior de todas as doenças atuais, é o sentimento que a pessoa tem de ser indesejada, de estar abandonada e relegada ao esquecimento por todos. O maior de todos os males é a falta de amor e a terrível indiferença para com o nosso semelhante.”

Essa citação, tão atual, foi dita há mais de sessenta anos por uma pequena albanesa, de nome difícil, chamada Agnes Gonxha Bojaxhiu, que nasceu em Skoplje, em 26 de agosto de 1910.
Desde muito pequena, Agnes demonstrou interesse pela vida religiosa e com apenas dezoito anos mudou-se para a Irlanda, tornando-se cidadã do mundo e iniciando seu trabalho religioso como missionária. No entanto, seu grande sonho era outro, a Índia e o trabalho voluntário junto aos mais humildes.
Após poucos meses de estadia na Irlanda, partiu para a Índia. Tomou o nome de Teresa e iniciou suas atividades como professora de geografia em um colégio religioso em Calcutá. Embora cercada de meninas, filhas das melhores famílias de Calcutá, impressionava-se com o que via quando saía à rua: os bairros de lata com cheiros nauseabundos, crianças, mulheres e velhos famélicos. Decidiu deixar o colégio e dedicar sua vida aos mais pobres dos pobres. Aqueles que todas as noites morriam pelas ruas e na manhã seguinte eram lançados para o carro da limpeza pública como se fossem lixo. Ela jamais conseguiu habituar-se a esse terrível espetáculo de pessoas esqueléticas morrendo de fome ou pedindo esmolas pelas ruas.
Iniciou um curso de enfermagem, que julgava de imensa utilidade para sua nova atividade. Junto com o alfabeto, dava lições de higiene e moral. O início foi duríssimo e ela sentiu a angústia terrível da solidão e das enormes dificuldades materiais. Um dia, dava voltas e mais voltas, à procura de uma casa, um teto para acolher os abandonados. Caminhou ininterruptamente, até que já não podia mais. Então, compreendeu até que ponto de esgotamento tem que chegar os verdadeiros pobres, em busca de um pouco de alimento, água, abrigo, remédio ou esperança. Naquele momento, a lembrança da tranqüilidade material de que gozava no convento, lhe veio à mente, porém, jurou não voltar atrás.
E jamais voltou.
Sua vida eram os pobres. Aqueles de quem as pessoas já não querem aproximar-se com medo do contágio, porque estão cobertos de micróbios e vermes. Aqueles que não vão rezar, porque não podem sair nus de casa, que já não comem, porque não têm força para comer, que se deixam cair pelas ruas, conscientes de que vão morrer e ao lado dos quais, os vivos passam, sem lhes prestar atenção, que já não choram, porque se lhes esgotaram as lágrimas.
Certa vez, percorrendo as ruas e prestando ajuda aos mais necessitados, ela se depara com um espetáculo horripilante: uma mulher agonizava no meio de escombros, roída pelos ratos e formigas. Madre Teresa aproxima-se e ouve um queixume, em voz muito tênue dizendo, ter sido o próprio filho a lançá-la ali. Recolheu-a e levou-a ao hospital mais próximo. Quando os atendentes vêem aquele semicadáver, respondem que não podem aceitar aquela mulher. Com a insistência a aceitam, porém, a mulher morre pouco depois. De regresso a casa, pensa nos moribundos como aquela mulher, que todos os dias morrem pelas ruas de Calcutá sem ninguém a lhes prestar assistência e cria assim a “Casa do Moribundo”, a qual dedicou, impecavelmente, suas melhores energias físicas e espirituais.
É nesta nova realidade que Madre Teresa coleciona histórias e exemplos de vida, que alimentam sua alma e lhe dão força para que não desista frente aos enormes obstáculos.
Certa noite, em sua ronda de caridade e auxílio socorreu quatro pessoas, que foram levadas a “Casa do Moribundo”, uma delas estava em péssimas condições. Solicitou que suas auxiliares cuidassem das outras três e dedicou-se pessoalmente a que estava em piores condições. Fez tudo o que estava ao seu alcance e ao colocá-la na cama, havia um lindo sorriso em seu rosto. Ela segurou a mão de Madre Teresa e disse apenas uma palavra: “Obrigada!”, e então morreu. Sem se revoltar ou tentar atrair um pouco de atenção, dizendo: “estou com fome, vou morrer; estou com frio e sinto muita dor”. Ela deu à Madre Teresa muito mais do que ela podia imaginar em uma situação como aquela, deu-lhe seu amor agradecido e morreu com um sorriso nos lábios.
Em outra ocasião, socorreu um homem que foi pego no esgoto, parcialmente comido por vermes. Depois de levado a “Casa do Moribundo”, disse apenas: “Tenho vivido na rua como um animal, mas vou morrer como um anjo, amando e recebendo atenção”. Então, depois de removerem todos os vermes do seu corpo, com um grande sorriso tudo o que disse foi: “Irmã, vou para casa estar com Deus”, e morreu.
Para Madre Teresa este sempre foi o seu maior tesouro, poder conviver com a grandeza de pessoas tão sofridas, que jamais culpavam alguém por suas chagas e sofrimentos. Como anjos - essa é a grandeza das pessoas espiritualmente ricas, embora materialmente pobres.
Madre Teresa não foi um exemplo apenas para Calcutá, para a Índia ou para a ONG “Projetos sociais meu sonho não tem fim”, ela foi um exemplo para toda a humanidade. Seu trabalho ia muito além da assistência social, era um trabalho de contemplação diante do coração do mundo, uma fonte viva de amor em um mundo repleto de ódio e miséria, mostrando a todos nós que não importa o quanto fazemos, mas, quanto amor colocamos naquilo que fazemos.
Por: Alex Cardoso de Melo
ONG “Projetos sociais meu sonho não tem fim”
######################################
A Maior chaga da Humanidade não é a fome e nem a guerra: Mas sim, a falta de amor! Como citado no inicio da crônica, essas são palavras de Madre Teresa.
Quantas vezes paramos para pensar nisso? A própria mídia faz questão de mostrar a violência, a guerra, a fome. Mas e a fome de AMOR, a dor da solidão, a tristeza pelo desprezo dos semelhantes, porque a mídia não mostra? Porque não mostra essa dura realidade que infesta a humanidade, dia a dia, em todos os locais onde habita o ser humano?
Ah, você pensa que aqui não acontece isso? Ledo engano! Acontece de forma escrachada, debaixo de nosso nariz!
E por falar nisso, como é que você está tratando seu semelhante? Você é aquela pessoa que está ali para ajudar, ou é aquela pessoa que vive dentro de um templo pregando e ao sair de lá vira a cara para seu semelhante? Ah, eu sei que falar é fácil, fazer é outra coisa!Mas peguemos carona no exemplo de Madre Teresa e quem sabe a gente consiga mudar um pouquinho nossa impáfia!

sexta-feira, 17 de setembro de 2010

Para pensarmos

PRA QUE SERVE UMA RELAÇÃO?


(Dr.Drauzio Varela)



Definição mais simples e exata sobre o sentido de mantermos uma relação?
"Uma relação tem que servir para tornar a vida dos dois mais fácil"
Vou dar continuidade a esta afirmação porque o assunto é bom, e merece ser desenvolvido.
Algumas pessoas mantém relações para se sentirem integradas na sociedade, para provarem a si mesmas que são capazes de ser amadas, para evitar a solidão, por dinheiro ou por preguiça.
Todos fadados à frustração.
Uma armadilha.
Uma relação tem que servir para você se sentir 100% à vontade com outra pessoa,
à vontade para concordar com ela e discordar dela, para ter sexo sem não-me-toques ou  para cair no sono logo após o jantar, pregado.
Uma relação tem que servir para você ter com quem ir ao cinema de mãos dadas,
para ter alguém que instale o som novo,enquanto você prepara uma omelete,
para ter alguém com quem viajar para um país distante, para ter alguém com quem ficar em silêncio, sem que nenhum dos dois se incomode com isso.
Uma relação tem que servir para, às vezes, estimular você a se produzir, e, quase sempre, estimular você a ser do jeito que é, de cara lavada uma pessoa bonita ,a seu modo.
Uma relação tem que servir para um e outro se sentirem amparados nas suas inquietações, para ensinar a confiar, a respeitar as diferenças que há entre as pessoas, e deve servir para fazer os dois se divertirem demais, mesmo em casa, principalmente em casa.
Uma relação tem que servir para cobrir as despesas um do outro num momento de aperto, e cobrir as dores um do outro num momento de melancolia, e cobrirem o corpo um do outro, quando o cobertor cair.
Um acompanhar o outro no médico, para um perdoar as fraquezas do outro, para um abrir a garrafa de vinho e para o outro abrir o jogo, e para os dois abrirem-se para o mundo, cientes de que o mundo não se resume aos dois.

##############
Será tudo isso uma utopia??? Ou sou uma sonhadora??????

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

QUERO VOLTAR A CONFIAR!

Fui criado com princípios morais comuns:
Quando eu era pequeno, mães, pais, professores, avós, tios, vizinhos eram autoridades dignas de respeito e consideração.
Quanto mais próximos ou mais velhos, mais afeto.
Inimaginável responder de forma mal educada aos mais velhos, professores ou autoridades…
Confiávamos nos adultos porque todos eram pais, mães ou familiares das crianças da nossa rua, do bairro, ou da cidade…
Tínhamos medo apenas do escuro, dos sapos, dos filmes de terror…
Hoje me deu uma tristeza infinita por tudo aquilo que perdemos.
Por tudo o que meus netos um dia enfrentarão.
Pelo medo no olhar das crianças, dos jovens, dos velhos e dos adultos.
Direitos humanos para criminosos, deveres ilimitados para cidadãos honestos.
Não levar vantagem em tudo significa ser idiota.
Pagar dívidas em dia é ser tonto… Anistia para corruptos e sonegadores…
O que aconteceu conosco?
Professores maltratados nas salas de aula, comerciantes ameaçados por traficantes, grades em nossas janelas e portas.
Que valores são esses?
Automóveis que valem mais que abraços,
Filhas querendo uma cirurgia como presente por passar de ano.
Celulares nas mochilas de crianças.
O que vais querer em troca de um abraço?
A diversão vale mais que um diploma.
Uma tela gigante vale mais que uma boa conversa.
Mais vale uma maquiagem que um sorvete.
Mais vale parecer do que ser…
Quando foi que tudo desapareceu ou se tornou ridículo?
Quero arrancar as grades da minha janela para poder tocar as flores!
Quero me sentar na varanda e dormir com a porta aberta nas noites de verão!
Quero a honestidade como motivo de orgulho.
Quero a vergonha na cara e a solidariedade
Quero a retidão de caráter, a cara limpa e o olhar olho-no-olho.
Quero a esperança, a alegria, a confiança!
Quero a esperança, a alegria, a confiança!
Quero calar a boca de quem diz:
“ temos que estar ao nível de…”,  ao falar de uma pessoa.
Abaixo o “TER”, viva o “SER”
E viva o retorno da verdadeira vida, simples como a chuva, limpa como um céu de primavera,
leve como a brisa da manhã!
E definitivamente bela, como cada amanhecer.
Quero ter de volta o meu mundo simples e comum.
Onde existam amor, solidariedade e fraternidade como bases.
Vamos voltar a ser “gente”
Construir um mundo melhor, mais justo, mais humano, onde as pessoas respeitem as pessoas.
Utopia?
Quem sabe?...
Precisamos tentar…
Quem sabe comecemos a caminhar transmitindo essa mensagem…
Nossos filhos merecem e nossos netos certamente nos agradecerão!

(Desconheço a Autoria)

##########################
Hoje fui surpreendida por colegas de trabalho ( eu as considero AMIGAS). Eu já imaginava que alguma coisa seria feito, mas não da forma carinhosa e travessa como foi e nem que seria hoje!!!!
Pude perceber que ainda podem existir amizades em locais de trabalho! Me fez lembrar os bons tempos em que todos trabalhávamos dessa forma, unida, carinhosa, respeitosamente e com muitas travessuras sadias, sem maldades. Aí.... tempos felizes....Quero voltar a confiar e SER como antes!!!
Obrigado queridas amigas. Mas só vou poder usar um dos presentes, hehehehehe

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

Humildade

Humildade vem do Latim humus que significa "filhos da terra". Refere-se à qualidade daqueles que não tentam se projetar sobre as outras pessoas, nem mostrar ser superior a elas. A Humildade é a virtude que dá o sentimento exato da nossa modéstia, cordialidade, respeito, simplicidade, honestidade e passividade. A humildade dos que vivem na pobreza, pode ser vista, pelos ricos, como uma fraqueza ou maneira de promover reverência e submissão das classes populares.
Diz-se que a humildade é uma virtude de quem é humilde, quem se vangloria, mostra simplesmente que humildade lhe falta. É nessa posição que talvez se situe a humilde confissão de Albert Einstein quando reconhece que “por detrás da matéria há algo de inexplicável”.
Por humilde também se pode entender a personalidade que assume seus deveres, obrigações, erros e culpas sem resistência. Assim, se pode dizer que a pessoa ou indivíduo "assume humildemente".
Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre
A Humildade é uma das virtudes que considero mais linda! Enobrece o ser humano, lhe proporciona evolução espiritual. Sinto-me compadecida com pessoas que após realizarem um ato, ficam a alardear aos quatro cantos, dizendo "nunca esqueçam que isso fui eu quem fiz" "Um dia lembrem de mim", etc... Só peço aos espíritos de luz que continuem na sua batalha a fim de conseguir atingir esses pobres corações.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Santo de Casa não faz milagres

Eu soube que Jesus disse ter saído de sua terra por que nela ninguém acreditava que ele era o profeta, ele precisou ir para outras terras para se firmar.

É interessante esse fenômeno, quanto mais íntimo é alguém menos acreditamos em seus conhecimentos! Fiquei pensando se isso não é um reflexo de nossa própria desvalorização. Temos uma ideia internalizada de menos valia. Acreditamos lá no fundo que não somos grande coisa, sabemos que não conhecemos tudo, então projetamos isso em nossos pares, desconfiamos de seus dotes, não botamos fé nele.
Claro que isso é uma suposição. Uma outra hipótese é: nós conhecermos os pontos vulneráveis desse “santo”. Quando vivemos muito próximos vemos suas falhas e como fomos ensinados a não confiar no que falha... Quem está distante dá a impressão que não erra, acho até que por isso achamos que a grama do vizinho é mais verde, como não convivemos com ele vinte e quatro horas por dia não o vemos falhar, então os achamos perfeitos, a perfeição que não temos e que nosso “santo” tem.
Para fazer milagre um santo não pode enganar-se, nós exigimos isso, e isso só acontece na nossa imaginação, quando a criatura está longe de nossa vista, vemos sua vida intermitentemente, só as partes que aprovamos, então ele torna-se autoridade em algo. Se chegamos mais perto, provavelmente nos decepcionaremos.
Vou lhe dizer uma coisa, não existe santo que não se engane, e mesmo falhando fazemos milagres, esses eventos não são exclusivos da perfeição, são movimentos naturais da existência. Vamos aprender a confiar no santo de casa!
Fonte: http://multiplasrealidades.blogspot.com/2009/12/santo-de-casa-nao-faz-milagre.html

######################
É incrível como as pessoas tem o hábito de desacreditar nas pessoas que conhecem!!! De pensar que pessoas de talento são necessariamente FAMOSAS e POPULARES. Não se dão conta de como são formados os diamantes!!!!Aliás, acho que não sabem mesmo como eles se formam !Mas se acham ESPERTOS e SÁBIOS.
Eu fico com a opinião da Nanda Botelho, que no texto acima diz que "Temos uma ideia internalizada de menos valia", e aí como não nos valorizamos, acabamos não dando valor a que está perto.
Mas cuidado... cuidado ao falarmos PRINCIPALMENTE sobre um assunto que além de tudo não somos conhecedores!

Eleições 2010

Dia 03 de Outubro está chegando e com ele as Eleições de 2010. Serão seis votos: Deputado Estadual, Deputado Federal, 2 Senadores, Governador e Presidente da República.
Uma mudança significativa nesse ano deve ser lembrada por todos:
Os Eleitores deverão portar, no momento da votação, o Título de Eleitor mais um documento de identificação com fotografia ( Identidade, Carteira de motorista, Carteira de trabalho, Carteira Profissional, Passaporte).
Sem esquecer que o último dia para requer a 2ª via do Título de Eleitor é 23 de setembro de 2010.

Vamos providenciar a documentação, ou ficaremos sem votar!!!!!

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Semana Farroupilha

“Farroupilhas: ideais, cidadania, revolução,”
A proposta de trabalho para o tema de 2010 é representada através de três aspectos:

- Os ideais: explorar as razões que levaram os farroupilhas a se colocarem em posição antagônica ao Império. Questões como os altos impostos sobre a terra e sobre a produção de charque, a idéia de República e de Federalismo, o direito de escolher (eleger) os representantes políticos, o direito ao tratamento homogêneo entre os servidores militares.
- A cidadania: os farroupilhas enquanto cidadãos, com famílias, com propriedades, com direitos civis, com deveres de cidadãos. A questão da falta de escolas e do analfabetismo. A questão do trabalho campeiro. Destacar momentos de lazer e descontração com jogos, bailes, carreiras, e explorar a questão da religiosidade através da presença da Igreja católica nas questões políticas, dos casamentos e batizados.
- a Revolução: a decisão extrema de pegar em amas para fazer valer direitos cidadãos e para alcançar os ideais que os moviam. Mostrar a movimentação das tropas no território, destacar a vida nas três capitais farroupilhas.
Nesse contexto destacamos as figuras mais importantes da Revolução, tais como:
- Bento Gonçalves da Silva
- Antônio de Souza Netto
- José Gomes Vasconcelos Jardim
- Onofre Pires da Silveira Canto
- Joaquim Teixeira Nunes
- David Canabarro
- Antonio Vicente da Fontoura
- Domingos José de Almeida
- Manoel Lucas de Oliveira
- José Mariano de Matos
- Padre Francisco da chagas Martins de Ávila e Sousa
- Padre Hildebrando de Freitas pedroso

Os estrangeiros:
- Giuseppe Maria Garibaldi
- Luigi Rosseti
- Tito Livio Zambecari
- John Pascoe Grenfell
O objetivo é mostrar tanto os aspectos revolucionários quanto os aspectos de cidadãos e suas famílias fazendo aparecer no cenário às mulheres que, de uma forma geral, são esquecidas pela historiografia.

Podemos trabalhar o desfile temático em 10 invernadas teatralizando:
1.A vida em família;
2.O trabalho: lida do campo e charqueadas;
3.A religiosidade: presença do padre, o casamento e o batizado;
4.As festas: um fandango, a chula, a tava e o truco;
5.Os ideais farroupilhas: assembléia provincial e as lojas maçônicas;
6.Apresentação dos líderes, com suas características;
7.Os estrangeiros engajados na idéia republicana;
8.A revolução: três capitais farroupilhas – Piratini, Caçapava do Sul e Alegrete;
9.A proclamação da república, a bandeira e o hino;
10.Os líderes e seus destinos no pós Revolução.
Fonte: http://www.semanafarroupilha.com.br/

################
Penso que esses 10 temas, acima listados deveriam fazer parte SEMPRE de nossa cultura. Que fossem trabalhados nas escolas e CTGS esses, divulgados ao público em geral, durante todo o ano. Afinal são nossas origens, nossa cultura, nossa tradição, que infelizmente, na maioria das vezes só são lembrados de 13 a 20 de setembro de cada ano!!!!!
Deixo aqui uma linda imagem de quem, desde cedo, aprende a cultuar a tradição!
Sobrinhos Gabriel e Mariana

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

INVEJA

Inveja é um sentimento de aversão ao que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exatamente o que a outra pessoa tem (pode ser tanto coisas materias como qualidades inerentes ao ser)e de tirar essa mesma coisa da pessoa, fazendo com que ela fique sem. É um sentimento gerado pelo egocentrismo e pela soberba de querer ser maior e melhor que todos, não podendo suportar que outrem seja melhor.

A origem latina da palavra inveja é "invidere" que significa "não ver". Com o tempo essa definição foi perdendo o sentido e começado a ser usado ao lado da palavra cobiça, que culminou, então, no sentido que temos hoje.
Os indivíduos disputam poder, riquezas e status, aqueles que possuem tais atributos sofrem do sentimento da inveja alheia dos que não possuem, que almejariam ter tais atributos. Isso em psicologia é denominado formação reativa: que é um mecanismo de defesa dos mais "fracos" contra os mais "fortes".
A inveja é originária desde tempos antigos, escritos em textos, que foi acentuado no capitalismo e no darwinismo social, na auto-preservação e auto-afirmação, a inveja seria, popularmente falando, a arma dos "incompetentes".
Numa outra perspectiva, a inveja também pode ser definida como uma vontade frustrada de possuir os atributos ou qualidades de um outro ser, pois aquele que deseja tais virtudes é incapaz de alcançá-la, seja pela incompetência e limitação física, seja pela intelectual.

###################
Eu não consigo imaginar o quanto possa ser doido o coração de uma criatura cheia de inveja.
Oxalá, Espíritos de Luz consigam atingir esses pobres corações!

Se alguém te procurar

Com frio... É porque você tem o cobertor.
Com alegria... É porque você tem o sorriso.
Com lágrimas... É porque você tem o lenço.
Com versos... É porque você tem a música.
Com dor... É porque você tem o curativo.
Com palavras... É porque você tem a audição.
Com fome... É porque você tem o alimento.
Com beijos... É porque você tem o mel.
Com dúvidas... É porque você tem o caminho.
Com orquestras... É porque você tem a festa.
Com desânimo... É porque você tem o estimulo.
Com fantasias... É porque você tem a realidade.
Com desespero... É porque você tem a Serenidade.
Com entusiasmo... É porque você tem o brilho.
Com segredos... É porque você tem a cumplicidade.
Com tumulto... É porque você tem a calma.
Com confiança... É porque você tem a força.
Com medo... É porque você tem o AMOR!!!
Ninguém chega até VOCÊ por acaso, Em "TUDO" há propósito...*****

quinta-feira, 9 de setembro de 2010

Código de Defesa do Consumidor

LEI Nº 12.291, DE 20 DE JULHO DE 2010.
Torna obrigatória a manutenção de exemplar do Código de Defesa do Consumidor nos estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços.
O PRESIDENTE DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:
Art. 1o São os estabelecimentos comerciais e de prestação de serviços obrigados a manter, em local visível e de fácil acesso ao público, 1 (um) exemplar do Código de Defesa do Consumidor.
Art. 2o O não cumprimento do disposto nesta Lei implicará as seguintes penalidades, a serem aplicadas aos infratores pela autoridade administrativa no âmbito de sua atribuição:
I - multa no montante de até R$ 1.064,10 (mil e sessenta e quatro reais e dez centavos);
II – (VETADO); e
III – (VETADO).
Art. 3o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.
Brasília, 20 de julho de 2010; 189o da Independência e 122o da República.
LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA
Luiz Paulo Teles Ferreira Barreto
Este texto não substitui o publicado no DOU de 21.7.2010

##########################
Será que os estabelecimentos comerciais estão cumprindo essa lei?
Compete a nós consumidores cobrarmos e denunciarmos o desacato a essa e a tantas outras leis do Código de Defesa do Consumidor, que infelizmente a maioria dos estabelecimentos comercais e de prestação de serviços descumprem na maior cara de pau.

domingo, 5 de setembro de 2010

Par Perfeito

Era uma vez um anjinho muito distraído chamado AMOREL, que recebeu uma incumbência de Deus:

- AMOREL, acabo de inventar os humanos. Eles estão classificados como homem e mulher, cada um tem seu par perfeito e já estão todos alinhados de par em par. Pegue esta bandeja com humanos e leve para que eles habitem a Terra.
AMOREL ficou contente pois, há muito tempo, o Senhor não o chamava para tão nobre trabalho. O anjinho pegou a bandeja e ao virar uma esquina lá no céu, trombou com uma anjinha chamada AMANDA.
A bandeja voou longe, e todos os casais de humanos se misturaram.
AMOREL e AMANDA ficaram desesperados e foram contar para Deus o ocorrido e o Senhor falou: - Vocês derrubaram, vocês juntarão! Porém, parece que Deus se esqueceu que os anjinhos eram distraídos. E é por isso que a cada dia os casais se juntam e se separam. Os dois anjinhos, trabalham incessantemente para que os pares perfeitos originais se encontrem.
O trabalho é muito difícil, tanto é, que por muitas vezes eles juntam pares errados, pois os humanos espalhados ficam inquietos e cobram o serviço dos anjinhos, o tempo todo. Quando os humanos se mostram muito desesperados, os anjinhos unem dois desesperados, mas logo depois percebem o engano e os separaram, e por muitas vezes, esta separação é brusca, pois não se tem tempo a perder.
Recebi um bilhete dos dois anjinhos e vou mandar pra você agora.
"Se você é um humano, queremos pedir desculpas pela nossa distração, pois errar não é só humano! Estamos trabalhando com empenho, porém, sempre contando com a ajuda de vocês. Não se desesperem mas também, não se isolem.
Tentem se mostrar realmente, quem é cada um de vocês, pois a medida que cada um mostrar o que é de verdade, vai tornar o nosso trabalho mais fácil. Aproveitamos a oportunidade, para nos desculpar pelas separações abruptas, sabemos que elas geram muito transtorno, mas se nós o separamos de alguém, é por que em algum canto vimos alguém bem mais parecido e por isso precisamos isolá-los para facilitar o encontro."
Autor desconhecido

#################
uma mensagem para refletirmos......

sábado, 4 de setembro de 2010

Por que os Homens Amam as Mulheres Poderosas?

Estou lendo esse maravilhoso livro da Escritora Americana Sherry Argov.
É um livro que TODAS as mulheres deveriam ler. As vezes fazemos as coisas pensando que estamos agradando e é muito ao contrário!!!
Segue um trecho do livro... acho que vocês não irão resistir e vão querer ler também....
###########################

1- DE CAPACHO A MULHER DOS SONHOS. CONHEÇA SEU PRÓPRIO VALOR E ELE A VALORIZARÁ

Sex appeal é 50% o que você tem e 50% o que as pessoas acham que você tem."
SOPHIA LOREN
DEIXE-ME APRESENTÁ-LA À MULHER BOAZINHA
Todas nós conhecemos uma mulher boazinha. É aquela que se entrega por completo a um homem que mal conhece, sem que ele tenha que investir muito. É a mulher que se dá cegamente porque anseia receber de volta a mesma atenção. É a mulher que age de acordo com o que ela acha que o homem gosta ou deseja porque quer manter o relacionamento a qualquer custo. Toda mulher, em algum momento, já passou por isso.
É verdade que as revistas femininas, em geral, estimulam esse comportamento: "Comece bancando a difícil. Mas no segundo encontro prepare uma refeição dos deuses para ele, crie um ambiente romântico com música suave, champanhe em copos de cristal e luz de velas... Não se esqueça dos guardanapos bordados e dos morangos orgânicos daquela loja maravilhosa a duas horas da sua casa. Depois, sirva tudo usando uma camisola de renda preta." Essa é uma receita perfeita para quê? Para um desastre.

PRINCÍPIO DA ATRAÇÃO N.º1

Tudo aquilo que perseguimos foge de nós.
Principalmente quando se trata de homens. Mas com um pequeno detalhe: se você correr atrás dele usando uma camisola de renda preta, primeiro ele vai transar com você... e depois vai sair correndo.
Por que um homem foge de uma situação como essa? Porque o comportamento da mulher indica que ela não se valoriza suficientemente. A relação é nova e os laços que unem o casal ainda são tênues. Entretanto, ela já permitiu que ele tivesse todos os trunfos na mão.
O fato de a mulher se exceder nas atenções com um sujeito que é praticamente um estranho pode levá-lo a duas conclusões: ou ela está desesperada ou vai para a cama com qualquer um. Ou ambas as coisas. O esforço que ela fez não é apreciado. E quando o homem começa a perder o respeito por uma mulher que sutilmente se desvaloriza, ele perde também o desejo de se aproximar dela. Com ou sem camisola de renda preta.
Por outro lado, uma mulher poderosa nunca se mata só para impressionar alguém. Começa preparando algo simples e descontraído. Sem guardanapos bordados. Ela pode até perguntar: "Do que é que você gosta?", como faria com qualquer pessoa amiga. Por isso, seis meses depois, quando a mesma mulher capricha no jantar para o mesmo homem, ele conclui: "Puxa! Eu sou especial para ela!"
E não é preciso ter champanhe ou caviar. Se o homem perceber o afeto e o cuidado que foram colocados no preparo da refeição, ele vai se sentir um verdadeiro rei. A diferença agora é que o jantar é uma resposta a todo o investimento da parte dele. Como não recebeu tudo de graça, ele valoriza muito mais o que conquistou.

PRINCÍPIO DA ATRAÇÃO N.º 2

As mulheres que enlouquecem os homens nem sempre são excepcionais. Em geral, são aquelas que dão a impressão de não se importar muito.
Isso não tem nada a ver com joguinhos de conquista. Trata-se de ser muito carente ou de gostar da própria companhia e demonstrar que, de certa forma, você se basta.
O que aconteceria se você o deixasse perceber que está disposta a dar tudo de si, desde o primeiro dia? Ele acharia que você está desesperada e começaria a testá-la.
Isso faz parte da natureza humana. E quanto mais você cedesse, mais ele exigiria. Em pouco tempo, ele a veria como um produto do qual poderá tirar o máximo proveito: "Até onde ela vai? Quanto conseguirei extrair dela?"
As garotas boazinhas precisam aprender algo que as mulheres poderosas já sabem. As concessões excessivas e a ânsia de agradar diminuem o respeito que o homem tem pela mulher e acabam com a atração que inicialmente os aproximou. Os homens, em geral, não se sentem desafiados quando se vêem diante de uma mulher que não mede sacrifícios para conquistá-los. Elas não oferecem o desafio mental que os homens procuram.
Por outro lado, as mulheres erram ao imaginar que, se tiverem doutorado, se souberem defender suas idéias em uma discussão sobre política internacional ou se entenderem de investimentos, serão naturalmente capazes de oferecer um estímulo mental ao homem.
O desafio mental tem muito mais a ver com a atitude do que com a conversa. Geralmente, a mulher que se faz respeitar e que demonstra não ter medo de viver sozinha constitui um desafio mental muito mais instigante.
A boazinha comete o erro de estar sempre disponível. "Não gosto de joguinhos", explica. Assim, ela permite que seu parceiro veja quanto teme perdê-lo, demonstrando claramente que ele tem total domínio sobre ela. Em geral, é nesse momento que a mulher começa a reclamar: "Ele nunca tem tempo para mim. Ele não é mais tão romântico quanto antes."
A mulher poderosa está disponível algumas vezes, mas outras não. Porém ela é amável o suficiente para levar em consideração as preferências do namorado quanto ao dia em que ele gostaria de vê-la, de forma que ela possa, às vezes, adaptar seus planos aos desejos dele. A conseqüência disso? Um relacionamento em que ninguém domina ninguém.
E a mulher que larga tudo o que está fazendo, a qualquer hora do dia ou da noite, para ir ao encontro de um homem? Ele sabe que a controla completamente. Por isso, depois de um tempo, o sujeito passa a sair com os amigos e só telefona à meia-noite, pois sabe que ela virá quando ele quiser. Quando a mulher recebe o telefonema de um homem no meio da noite, pega o carro e sai correndo para encontrá-lo, a única coisa que está faltando é uma placa luminosa no teto do carro com a inscrição: ENTREGA EM DOMICÍLIO.

PRINCÍPIO DA ATRAÇÃO N.º 3

Um homem percebe que a mulher oferece um desafio mental quando ele sente que não tem total domínio sobre ela.
O tempo que vocês passam juntos é revelador. Uma semana depois de conhecer o novo par, a mulher boazinha está sentada em uma cadeira, morrendo de tédio, enquanto ele faz algo de seu interesse, como assistir ao futebol na televisão, limpar o molinete da vara de pescar ou mexer no motor do automóvel. Ela se sente infeliz mas não dá um pio, submetendo-se a uma chateação monumental só para ficar perto dele.
E como reagir quando o sujeito diz que gosta de louras e você é morena, tem olhos escuros e cabelos pretos? Se você aparecer, no dia seguinte, de cabelos descoloridos combinando com as sobrancelhas oxigenadas, não restará dúvida. Ele vai saber que tem total controle sobre você.
E como age a mulher poderosa? Ela escolhe a cada momento o que a faz mais feliz. Se observar o namorado consertar a vara de pescar a diverte, ela fica ao seu lado. Caso contrário, vai buscar algo que a distraia. Se ele diz que gosta de louras, ela se olha no espelho para examinar a possibilidade de clarear o cabelo. Mas só vai fazer isso se lhe der prazer, sabendo que, se não gostar, é só voltar para a cor original.
A mulher poderosa pode até ir para a cozinha fazer um prato especial para o parceiro, mas não vai se esmerar em preparar um banquete logo no primeiro encontro. E, se for para a cozinha, é porque gosta. A mulher poderosa não perde tempo refinando as habilidades indispensáveis para "agarrar um marido". Nas primeiras vezes que sai com um homem, ela se concentra simplesmente em ser boa companhia.
Preste atenção no seguinte: um homem que, desde o início do namoro, está voltado para ele mesmo e para as próprias necessidades provavelmente não será um bom companheiro. Mas muitas vezes as mulheres se excedem tanto em atender todos os desejos de seus parceiros – os expressos e os que elas imaginam – que eles se habituam a apenas receber. Pergunte-se: você está se esforçando demais? Não está dando chance a ele de retribuir? A mulher que se desdobra em mil cuidados passa a seguinte mensagem: "O que tenho a oferecer não é suficiente." Por outro lado, a mulher poderosa transmite a mensagem oposta: "Eu tenho valor." Vamos ver alguns exemplos.
A base de um relacionamento é estabelecida logo nos primeiros dias. Desde o início, ele, conscientemente (isso mesmo, conscientemente), tenta determinar até que ponto conseguirá se dar bem.
Os hábitos relacionados ao uso do telefone também são reveladores. Você espera que ele telefone antes de fazer qualquer plano? Fica furiosa se ele não telefona ou não aparece?
Se a resposta for sim, você mais uma vez está transmitindo o recado de que ele tem total controle sobre a relação, uma mensagem que não deve ser dada a alguém que você mal conhece.
É verdade que a maioria dos homens deixa de telefonar deliberadamente, só para ver a sua reação. Quando uma mulher se aborrece, ela não consegue esconder isso. E fica nítido para o homem o grau de interesse – ou de desespero – dela.

sexta-feira, 3 de setembro de 2010

A casa dos espíritos

Os números, superlativos para os padrões do cinema brasileiro, impressionam. Com orçamento de R$ 20 milhões, Nosso Lar chega hoje (3/9) a 435 salas. Para efeito de comparação, dentro do mesmo nicho temático, Chico Xavier custou R$ 12 milhões e estreou em 388 salas.
O filme dirigido por Wagner de Assis é o mais recente lançamento voltado ao espiritismo, tema que tem se mostrado uma aposta certa nas bilheterias desde que o modesto Bezerra de Menezes - O Diário de um Espírito (2008) surpreendeu ao somar mais de 500 mil espectadores.
A expectativa pelo desempenho de Nosso Lar é do tamanho do orçamento que o fez a mais cara produção do cinema nacional, tirando o posto de Lula, o Filho do Brasil (R$ 18 milhões). Resta saber se vai fazer mais público do que os 3 milhões de espectadores de Chico Xavier, de Daniel Filho.
Adaptação do livro homônimo psicografado por Chico Xavier em 1943, a produção contou com profissionais do primeiro time hollywoodiano, como o diretor de fotografia Ueli Steiger (de O Dia Depois de Amanhã) e o supervisor de efeitos especiais Lev Kolobov (de Watchmen). Nosso Lar é o nome da comunidade espiritual em que se passa a trama. Para representá-la, foi construída uma cidade cenográfica, adornada por efeitos digitais.
É lá que vai parar o espírito de André Luiz (Renato Prieto), médico que morre de câncer. Depois de perambular pelo umbral (dimensão marcada pelas sombras e pelo sofrimento), sua alma é resgatada por Lísias (Fernando Alves Pinto). Na cidade espiritual, o médico ampliará seus horizontes sobre o significado da vida e voltará a fazer contato com sua família na Terra. Segundo Assis, o longa não se propõe a fazer panfletagem sobre a religião espírita:
- Ele tem por função contar uma história. Em momento algum queremos doutrinar. Não temos a preocupação de passar uma mensagem.
Os próximos lançamentos voltados para a temática espírita são As Mães de Chico Xavier, do mesmo diretor de Bezerra de Menezes, Glauber Filho, em produção no Ceará; E a Vida Continua, de Paulo Figueiredo; e o documentário As Cartas Psicografadas de Chico Xavier, de Cristiana Grumbach, exibido no último Festival de Gramado.
 Leia a reportagem na íntegra em: http://wp.clicrbs.com.br/segundocaderno/2010/09/03/a-casa-dos-espiritos/?

##############
A doutrina espírita vem ganhando espaço a cada dia. Embora a maioria diga que não acredita na doutrina, ninguém consegue conter a curiosidade.
Que os Espíritos de Luz continuem a iluminar os cineastas a produzirem mais e mais filmes divulgando a doutrina.
Cada sementinha que germinar é uma vitória!