quarta-feira, 28 de abril de 2010

Sindrome de Nóe

Venho abordando na maioria das vezes assuntos relacionados à Previdência Pública. É um assunto que me fascina, amo de paixão e por um longo período (10 anos) tive a oportunidade de atuar no Regime Próprio do município de Nova Esperança do Sul. Me aperfeiçõei o quanto pude neste período, mas infelizmente, alheio a minha vontade, hoje não atuo mais nessa atividade.
Mas tudo bem... Sempre pensava numa maneira de levar ao conhecimento das comunidades como funciona esse trabalho. Instigar, os servidores a se preocuparem com suas aposentadorias e auxílios doença e maternidade. Eu sei, pela experiência que tive ao longo dos anos, que os servidores e muito menos a comunidade sequer sabe que existe um Regime Próprio de Previdência. Nova Esperança do Sul, em final de dezembro de 2009, estava com quase R$ 4.000.000,00 (quatro milhões de reais).
Não são infromações sigilosas. Basta acessar o site http://www.mps.gov.br/ e obter essa e muitas outras informações sobre qualquer prefeitura do Brasil, que tenha Regime Próprio.
Mas bem, 4.000.000,00 de reais é dinheiro para muitas obras, nao? Mas os municipios são obrigados a contribuir para a aposentadoria dos servidores.
Só penso que as comunidades todas devem saber disso, da existência e da gestão desses recursos, afinal é dinheiro do povo!
Mas agora explico a Síndrome de Noé:
Hoje, no decorrer do meu trabalho consegui ficar ainda mais rebelde, pensem no seguinte fato estarrecedor que vivi: dentre as atividades que desempenho, sou encarregada de encaminhar Carteiras de Identidades, como ainda estamos no processo de informatização de nosso posto, que será para breve, muito breve, e aí a coisa vai melhorar, eu encaminhei no dia 28 de março de 2010 uma remessa de carteiras para a Regional de Santa Maria, que é a responsável pelo nosso Posto aqui, lá eles fazem a digitação no sistema e encaminham para Porto Alegre. Pois pasmem: ao abrir um envelope oriundo da Regional de Santa Maria, dentro estava sendo devolvido um protocolo que eu havia encaminhado no dia 28 de março, hoje são 28 de abril. O motivo? porque eu havia esquecido, esqueci realmente, de escrever/anotar no campo Observações do formulário, a data de emissão da certidão de nascimento. Só que para evitar esses transtornos já somos OBRIGADOS a enviar junto com o formulário a cópia da certidão de casamento/nascimento. Bastaria apenas que o SERVIDOR PÚBLICO que foi inserir esses dados no sistema, em Santa Maria, pegasse uma caneta e anotasse a data de emissão da referida certidão. Mas não! Esperaram 30 dias para devolver para mim pegar a caneta aqui na minha cidade e escrever a data, e recolocar no correio! Ah, ainda tem as despesas de correio gente!!!!
Pois é, essa é a sindrome de NÓE, NÓE COMIGO! Te vira!!!!!! Não tenha nada que ver!!!! Quanta solidariedade né?
Claro que hj mesmo eu ja devolvi ao correio, anexado foi uma cartinha, a punho mesmo, dizendo mais ou menos isso que estou escrevendo aqui! QUE O UNICO PREJUDICADO É O CIDADAO/CONTRIBUINTE, que paga todas essas despesas e servidores com Síndrome de Noé e que, pior, NECESSITA de sua carteira de identidade!
Quando é que vamos nos dar conta dessas aberrações e cobrar nossos direitos????

P.S. não quero me eximir da culpa de não ter colocado a referida data, mas questiono, cadê o coleguismo???????????Um servidor vai ser prejudicado por escrever a punho uma data?
Explico também: sou eu quem encaminha CTPS e trabalha com a Junta de Serviço Militar de minha queridade comunidade, e as vezes na correria, acabo falhando em algumas coisas, se é q isso pode justificar o erro, né!

Eu não consigo mais entender....acho que estou neurótica!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

SINTA-SE A VONTADE AO FAZER SEU COMENTÁRIO...